Notícias » Europa

Kremlin afirma que invasão livrará Ucrânia de 'nazistas'

A ação foi comentada pelo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, na manhã de hoje

Wallacy Ferrari Publicado em 24/02/2022, às 18h44

Dmitry Peskov em evento do G20
Dmitry Peskov em evento do G20 - Getty Images

Durante a manhã histórica desta quinta-feira, 24, quando a invasão russa contra o território da Ucrânia teve seu ponto de partida, uma conferência telefônica entre o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, e repórteres de agências europeias de notícia chamou atenção por uma fala que classifica opositores ucranianos com "nazistas".

De acordo com ele, a operação trata-se de um "ataque" com o objetivo de neutralizar o potencial militar no país vizinho e, principalmente, "limpar o país dos nazistas". Contudo, ele rejeitou o uso da palavra 'ocupar' para a intervenção russa, classificando-a como "inaceitável" pelo contexto da operação.

Por volta das 5h da manhã no horário local (meia-noite no horário de Brasília), o ataque teria iniciado, com Vladimir Putin classificando a intervenção como uma 'operação militar especial', acrescentando que o 'confronto é inevitável'. Ao longo do dia, as forças russas tomaram cidades importantes e, pela tarde, caminhavam em direção a capital Kiev.