Notícias » América do Sul

Lápide de 2.000 anos da Guatemala dá pistas sobre mistério da escrita dos maias

A descoberta é uma ferramenta importante para acompanhar a evolução da linguagem visual maia usada na Mesoamérica

Wallacy Ferrari Publicado em 11/03/2020, às 07h00 - Atualizado às 07h56

A pedra encontrada possui desenhos e figuras relativas ao início da escrita maia
A pedra encontrada possui desenhos e figuras relativas ao início da escrita maia - Ministério da Cultura e Esporte da Guatemala

Uma lápide, com a numeração 87, foi encontrada no sítio arqueológico de Tak'alik Ab'Aj, na Guatemala, em setembro de 2018. Após analisada, a equipe de pesquisadores acredita que o objeto foi confeccionado há aproximadamente 2.100 anos. A descoberta só foi divulgada em agora pois havia a necessidade de certificar a origem histórica do item.

Suas características de escultura e as formas representadas são semelhantes a um texto maia mais simples, possivelmente ainda em desenvolvimento. A região que a lápide foi encontrada foi habitada pelos olmecas e maias, em cerca de 100 a.C., porém, somente os maias continuaram a desenvolver culturas específicas.

A transição cultural entre a cultura olmeca para maia ocorreu entre 700 até 400 a.C. e tem sido acompanhada por meio de itens descobertos no sitio arqueológico; em 2012, uma tumba, que acreditam ter pertencido a um poderoso rei, serviu como uma ferramenta para ver a transição e desenvolvimento linguístico dos maias.

O presidente da Guatemala Alejandro Giammattei e o especialista alemão Nikolai Grube fizeram uma conferência para dialogar sobre a importância da descoberta e pediu à Unesco para reconhecer o sitio como Patrimônio Cultural da Humanidade. “A grande importância da lápide 87 reside no fato de ser um exemplo do desenvolvimento da escrita na Mesoamérica”, afirmou Alejandro.