Notícias » Brasil

Levantamento avalia como homossexualidade de candidatos afeta voto de eleitores brasileiros

Uma parcela de 19,5% dos entrevistados afirmou que suas intenções de voto mudam ao saber que um político é gay

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 21/07/2021, às 19h00

Imagem ilustrativa de bandeira LGBT
Imagem ilustrativa de bandeira LGBT - Wikimedia Commons

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas concluiu que, para 75,9% dos entrevistados, o fato de um candidato à presidência da República ser homossexual não altera em nada na sua intenção de voto. O levantamento foi repercutido pela Veja nesta quarta-feira, 21. 

O grupo que tinha mais inclinação a votar em alguém por conta do político ser gay foi de 5,8%, enquanto a parcela de entrevistados que, pelo contrário, tinham menos inclinação de votar em um candidato que tivesse essa orientação sexual foi de 13,7%. Já os que não sabiam ou preferiam não opinar foram 4,6%. 

Ainda conforme a Veja, a rejeição aos políticos homossexuais era mais alta entre homens, entrevistados com mais de 60 anos, pessoas que estudaram até o ensino fundamental e ainda aqueles que moravam na região Sul do país. 

Já as pessoas que tinham mais chances de votar em um candidato à presidência pelo fato dele ser gay  eram majoritariamente mulheres, jovens na faixa entre os 16 e 24 anos, entrevistados que possuíam ensino superior e os que moravam no Sudeste. 

Vale acrescentar que a pesquisa foi realizada via telefone com 2.033 brasileiros que estavam distribuídos por todos os estados do país.