Notícias » Afeganistão

Líder do Talibã ordena fim das punições para antigas autoridades

A declaração surge após denúncias de execuções no Afeganistão

Redação Publicado em 30/12/2021, às 10h34

Protesto contra o Talibã ocorrido no Reino Unido em agosto deste ano
Protesto contra o Talibã ocorrido no Reino Unido em agosto deste ano - Getty Images

O chefe supremo do Talibã, mulá Hibatullah Akhundzada, anunciou nesta quinta-feira, 30, que suas tropas não deverão mais promover castigos contra funcionários do governo anterior.

A fala surge em meio a diversas denúncias de organizações de direitos humanos de que o regime islâmico estaria agindo com violência e realizando execuções sumárias.

"Respeitem minha anistia e não castiguem os funcionários do regime precedente por seus crimes do passado", declarou o líder, conforme divulgou no Twitter o porta-voz do grupo, Mohammad Naeem.

Segundo Naeem, Akhundzada pronunciou-se sobre o tema na noite de quarta-feira, 29, durante encontro com autoridades afegãs em Kandahar, segunda maior cidade do país. As informações são da agência de notícias AFP.

As declarações foram dadas logo após o surgimento de um vídeo no qual dois combatentes talibãs são vistos agredindo um ex-oficial do Exército. Conforme a fonte, o governo afirmou que um dos soldados receberá punição pela ação inadequada.

Hibatullah Akhundzada também pediu que as autoridades locais, assim como os líderes tribais, garantam que os afegãos não deixem o país. "Os afegãos não são respeitados em outros países, motivo pelo qual nenhum afegão deveria ir embora", disse o mulá.