Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Animais

Lince europeu sofre ameaça de extinção entre França e Suíça; entenda!

Com população estimada entre 120 e 150, lince europeu sofre risco de desaparecer

Éric Moreira, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 14/02/2023, às 09h13

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Lince europeu (Lynx lynx) - Foto por Winkelmann pelo Pixabay
Lince europeu (Lynx lynx) - Foto por Winkelmann pelo Pixabay

Infelizmente, o tempo passa e cada vez mais algumas espécies sofrem com o risco iminente de sumir do mapa, ficando extintas por razões diversas como mudanças ambientais ou a caça. Porém, a espécie do lince europeu (Lynx lynx) vem sofrendo, nos últimos tempos, com outro fator que pode levá-la à extinção: a baixa variedade genética.

Em estudo publicado na última segunda-feira, 13, na Frontiers in Conservation Science, a afirmação é explicada. Primeiramente, é importante pontuar: a população desses felinos vive nas profundezas da cordilheira do Jura, na região da divisa entre a França e a Suíça, com uma estimativa em seu número de espécimes de 120 a 150.

Porém, conforme repercutido pela Revista Galileu, embora a combinação de caça ilegal e acidentes de carro influencie no número de espécimes, o principal fator responsável pela queda constante no número de indivíduos é a depressão endogâmica — quando a baixa diversidade genética acarreta problemas de reprodução e de sobrevivência. Ou seja, o lince europeu não tem se reproduzido sustentavelmente nos últimos tempos, se relacionando muitas vezes com indivíduos geneticamente parecidos.

Fotografia de um lince
Fotografia de um lince / Crédito: Foto por Artur Pawlak pelo Pixabay

A pesquisa

A fim de compreender o fenômeno da queda populacional do lince europeu, foram utilizados pelos pesquisadores 23 marcadores de microssatélites e outras 78 amostras de DNA, coletadas de indivíduos feridos ou mortos entre 2008 e 2020.

Com os dados obtidos, foi feita uma comparação genética entre os linces de Jura e outros indivíduos de Cárpatos, e os resultados se mostraram preocupantes.

A partir da análise, os pesquisadores puderam constar que só devem existir aproximadamente 38 indivíduos reprodutores saudáveis na região da cordilheira do Jura. Com isso, a probabilidade de indivíduos que tentem acasalar de ser parentes próximos, o que é um problema, é de 41%, extremamente alta.

Dada a rápida perda de diversidade genética, estimamos que essa população será extinta em menos de 30 anos", afirma Nathan Huvier, autor da pesquisa, em nota. "Essa população precisa urgentemente de novo material genético para se tornar sustentável."

Dessa forma, no próprio estudo são apontadas, pelos autores, medidas que podem ser tomadas para a proteção e manutenção da espécie, como o aumento da sinalização rodoviária e uma aplicação mais rigorosa da lei nos locais onde a caça é ilegal.

"Queremos que este trabalho apoie a ação para a conservação do lince", conta Huvier. "A reintrodução, a substituição de linces caçados furtivamente e a troca de linces órfãos entre centros de atendimento são a melhor solução de curto prazo para que essa população permaneça viva, e dará a ela chance de se desenvolver e se conectar com outras populações na Europa."

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!