Notícias » Arqueologia

Local de purificação de 2.000 anos é descoberto em Israel

Estrutura usada no micvê, ritual de banhos de purificação, revela mais sobre o estilo de vida dos judeus do período

Ingredi Brunato Publicado em 30/09/2020, às 16h35

Fotografia da fazenda onde ocorreu o achado, com o micvê visível no canto inferior direito.
Fotografia da fazenda onde ocorreu o achado, com o micvê visível no canto inferior direito. - Divulgação/ Abd Ibrahim/ Autoridade de Antiguidades de Israel

Uma escavação na vila de Kfar Manda, em Israel, que contou com estudantes do exército e voluntários locais, revelou uma estrutura usada de pelos judeus no micvê, ritual de banhos de purificação, da época em que a Palestina estava sob domínio do Império Romano, cerca de 2000 anos atrás. 

Os arqueólogos ainda explicaram que o achado foi valioso por ser o primeiro indício da existência de fazendas judias na Galileia, contrariando o consenso anterior de que os judeus do período do Segundo Templo viviam apenas dentro de aldeias e cidades. 

“A existência de uma micvê, uma instalação de purificação, indica inequivocamente que os residentes da antiga fazenda eram judeus, que lideravam um religioso e tradicional modo de vida, e manteve a pureza como um mandamento da Torá. Os banhos têm sido usados ​​na vida diária pelos judeus desde o período do Segundo Templo e até hoje”, escreveram os líderes da escavação, Abd Elghani Ibrahim e o Dr. Walid Atrash, segundo apurado pelo The Jerusalem Post.  

De 57 toneladas, a banheira judaica de função ritualística precisava também ser removida do local onde foi revelada, por conta da construção de uma rodovia que passaria pelo local.

A remoção foi feita com sucesso através de uma campanha de financiamento coletivo organizada pela Autoridade de Antiguidades de Israel.