Notícias » Personagem

Lutou contra o Apartheid: Morre Desmond Tutu aos 90 anos

Vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1984, arcebispo da África do Sul foi uma das principais figuras do país na luta antissegregacionista

Fabio Previdelli Publicado em 26/12/2021, às 12h31 - Atualizado às 12h50

Desmond Tutu
Desmond Tutu - Getty Images

Na manhã deste domingo, 26, o presidente sul-africano Cyril Ramaphosa confirmou a morte do arcebispo Desmond Tutu, que tinha 90 anos. Vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 1984, Desmond Tutu foi uma das principais figuras do país na luta contra o Apartheid (1948 -1991) — um regime segragacionista que separava as pessoas negras das brancas, dando ao último grupo o controle político e econômico da África do Sul. 

"A morte do arcebispo emérito Desmond Tutu é outro capítulo de luto no adeus de nossa nação a uma geração de sul-africanos excepcionais que nos deixou uma África do Sul liberta", declarou o presidente.

Desmond Tutu era um patriota sem igual; um líder de princípio e pragmatismo que deu significado à compreensão bíblica de que a fé sem obras está morta", completa Cyril Ramaphosa.

Como arcebispo da Igreja Anglicana, conforme recorda matéria do G1, Desmond Tutu ficou conhecido por outras lutas, como a dos direitos da população LGBTQIA+, contra as mudanças climáticas e à favor do meio ambiente. Tutu também se posicionava em outras pautas de relevância mundial, como a ocupação da Palestina por Israel.

Desmond Tutu/ Crédito: Getty Images

 

De acordo com informações do O Globo, Desmond Tutu foi diagnosticado com câncer de próstata no final dos anos 1990. Desde então, o sul-africano foi hospitalizado diversas vezes para tratar de infecções causadas pela enfermidade. Desmond era casado com Nomalizo Leah, com quem tinha quatro filhos. 

A trajetória de Tutu

Por sua oposição não violenta ao Apartheid, Desmond Tutu foi condecorado com o Prêmio Nobel da Paz em 1984. Quase uma década depois, ele presenciou o fim do regime segregacionista e também foi presidente da Comissão da Verdade e Reconciliação, em 1995 — que investigou os casos mais graves de violação dos Direitos Humanos contra as vítimas sul-africanas. 

Amigo de Nelson Mandela durante toda a vida, os dois viveram por um período na cidade de Soweto, contígua à Joanesburgo, maior cidade do país e capital da província de Gauteng.

Sua qualidade mais característica é sua prontidão para adotar posições impopulares sem medo", declarou Mandela certa vez sobre o companheiro, conforme recorda o G1. "Tal independência de mente é vital para uma democracia vicejante".

Ramaphosa declarou que Desmond Tutu era "um líder espiritual icônico, ativista anti-apartheid e ativista global dos direitos humanos".

Desmond Tutu, Jimmy Carter e Nelson Mandela/ Crédito: Getty Images

 

Tutu foi ordenado sacerdote em 1960 e, 25 anos depois, ele se tornou bisbo em Joanesburgo, sendo nomeado o primeiro arcebispo negro da Cidade do Cabo. 

Desmond também ficou conhecido por criar o termo “Nação Arco-Íris”, maneira que encontrou de descrever a mistura étnica da África do Sul, embora, em seus últimos anos de vida, queixava-se de como seu país não se uniu da maneira como imaginava.