Notícias » Personagem

Macron diz que Afeganistão não deve se tornar 'santuário do terrorismo' como anteriormente

'É nosso dever e nossa dignidade proteger aqueles que nos ajudaram', reforça o presidente da França

Redação Publicado em 16/08/2021, às 20h06

Macron em 2017 durante compromisso público
Macron em 2017 durante compromisso público - Getty Images

Após o grupo extremista Talibã retomar o controle do Afeganistão diante do controle do palácio presidencial no último domingo, 15, Emanuel Macron, presidente da França, deu a visão do país sobre o episódio. 

Com o mundo em alerta após o grupo tomar o poder 20 anos depois, Macron declarou através de um discurso de 10 minutos que a situação atual é um desafio para a estabilidade e paz ao redor do mundo.

"É um desafio para a estabilidade e paz internacionais e faremos tudo com a Rússia, os Estados Unidos e a Europa para cooperar eficazmente, uma vez que os nossos interesses são os mesmos", disse ele. 

Através do discurso que foi transmitido nacionalmente, o presidente destacou que o país vai repatriar os afegãos e disse que aproximadamente 800 pessoas já haviam chegado à França.

“É nosso dever e nossa dignidade proteger aqueles que nos ajudaram: tradutores, motoristas, cozinheiros e tantos outros”, explicou Macron, conforme destacado pelo portal de notícias G1.

Sem intervenção

O presidente frânces também alegou que o atual cenário deve ocasionar 'fluxos de migrantes irregulares' e que o Afeganistão não deve se tornar novamente um 'santuário do terrorismo que foi'. 

Ao descartar intervenção, Macron também relata que França, Alemanha e países da UE buscam uma iniciativa 'solida, coordenada e unida', para lidar com a situação atual.