Notícias » Madeleine McCann

Madeleine McCann: Suspeito aponta álibi que o colocaria longe da cena do crime

Desaparecimento da jovem inglesa completa 15 anos nesta terça-feira, 3

Fabio Previdelli Publicado em 03/05/2022, às 16h48

Os pais de Madeleine com um pôster usado nas buscas da menina
Os pais de Madeleine com um pôster usado nas buscas da menina - Getty Images

No dia em que o desaparecimento de Madeleine McCann completa 15 anos, mais informações sobre o sumiço da jovem inglesa, que tinha apenas 3 anos na época, vem à tona. 

Segundo reportado pelo site Sky News, Christian Brueckner, o principal acusado pelo desaparecimento da jovem que passava as férias com sua família na cidade portuguesa de Algarve, apontou um álibi que o tira da cena do crime. 

Christian diz que quando Madeleine sumiu — em 3 de maio de 2007, na Praia da Luz —, ele estava fazendo sexo com uma mulher alemã dentro de sua van a quilômetros de distância do local. 

O sujeito aponta que, no dia seguinte ao sumiço de McCann, ele levou a parceira até o aeroporto de Faro, onde ela embarcaria de volta para casa. Eles teriam sido parados e fotografados em um bloqueio policial. A mulher teria sido presa pela segurança do aeroporto por tentar embarcar com um spray de pimenta ilegal. 

O Sky News aponta que, durante uma investigação de estupro contra Brueckner, a polícia encontrou uma fotografia da mulher deitada em seu trailer. Pelo crime em questão, ele cumpre uma sentença de sete anos de prisão na Alemanha. 

Quando o acusado falou sobre esse seu álibi pela primeira vez, ele não pôde ser comprovado, visto que Christian não se recordava do nome completo da parceira. Entretanto, ela foi identificada tempos depois. 

Álibi vs. acusação

Caso a versão de Brueckner seja comprovada, ela desmontará os registros de telefone celular encontrados pela polícia portuguesa. Segundo análise de dados do celular do acusado, ele estava em Algarve no dia em que Madeleine desapareceu. 

Os registros do aparelho celular mostram que Christian estava nos arredores da Praia da Luz quando recebeu ligações entre as 19h32 e 20h02. Segundo Kate e Gerry McCann, pais da jovem, ela sumiu entre 21h e 22h. Brueckner rebate e aponta que este horário já estava a quilômetros de distância ao longo da costa leste, em direção a Faro.

Até agora ele não nos disse nada, não nos deu nenhum álibi. Então, só podemos trabalhar com as evidências que encontramos até agora em nossa investigação. E não havia nada para inocentá-lo”, aponta o promotor alemão Hans Christian Wolters, que está liderando a investigação de Madeleine com detetives portugueses e britânicos.