Notícias » Brasil

Mãe relata pressão para pais desistirem de vacinarem seus filhos

"Terrorismo", disse uma moradora de Itajaí, no Rio de Janeiro, sobre exigência de assinatura de termo de responsabilidade

Redação Publicado em 26/01/2022, às 11h51

Trecho do termo de responsabilidade exigido em Itaguaí
Trecho do termo de responsabilidade exigido em Itaguaí - Divulgação / TV Globo

Uma mãe que levou a filha para tomar vacina contra a Covid-19 na cidade de Itaguaí, no Rio de Janeiro, afirma ter sido pressionada a desistir do procedimento. Segundo ela, a exigência da assinatura de um termo de responsabilidade dos pais estaria provocando um verdadeiro "terrorismo" na região.

"Vacinei minha filha semana passada. Contrariada, assinei o bendito termo. Depois fui levada para uma sala com mais 3 pais com seus filhos, onde, a portas fechadas, a agente de saúde leu trocentas reações adversas que poderiam acontecer", disse a mulher.

De acordo com informações do G1, a funcionária ainda teria sinalizado ser contra a vacinação de crianças, uma vez que teria deixado implícito que não vacinaria o próprio filho, após ter sido questionada por uma outra mãe.

"Foi horrível, um terrorismo. Minha filha tomou a vacina e não teve reação nenhuma. Está linda e feliz por ter tomado a vacina", ressaltou a entrevistada.

Conforme apontou o portal de notícias, a cobrança de um termo de responsabilidade em Itaguaí se dá de maneira irregular, apesar da prática ter sido observada em outros municípios. O Ministério Público, no entanto, afirmou que irá investigar o caso.

Uma nota técnica do Ministério da Saúde prevê a cobrança de um termo de assentimento em casos em que os responsáveis pelas crianças não estão presentes no momento da vacinação. Contudo, a Prefeitura de Itaguaí, tem exigido a assinatura mesmo quando são os pais quem levam os filhos às unidades de saúde.