Notícias » Astronomia

Maior câmera digital do mundo realiza primeiros testes em item curioso

O dispositivo será utilizado para mapear o universo em um observatório do Chile

Caio Tortamano Publicado em 10/09/2020, às 16h46

Vegetal foi utilizado como teste para essa super câmera
Vegetal foi utilizado como teste para essa super câmera - Divulgação - SLAC National Accelerator Laboratory

Uma câmera de mais de 3,2 gigapixels será instalada no observatório Vera Rubin, no Chile, para captar imagens astronômicas com uma qualidade superior. Porém, para testar a real capacidade do dispositivo, o sensor do objeto foi testado em um item que muito se distancia do proposito principal: um brócolis.

Apesar de parecer inusitado, o vegetal é uma das melhores escolhas para a realização dos testes. Isso porque sua complexa textura, nos sensores ópticos, quando aproximada diversas vezes ajuda os pesquisadores. Essa precisão será necessária para alcançar os objetivos dos cientistas do observatório.

Câmera capturou detalhes de brócolis / Crédito: Divulgação - SLAC National Accelerator Laboratory

 

O Vera Rubin tem a missão de criar um mapa do céu observável com grande qualidade, isso inclui a posição de bilhões de estrelas e galáxias. De acordo com o G1, até mesmo astros em movimento ou cintilantes poderão ser diferenciados com a tecnologia.

A câmera especial está sendo desenvolvida na Califórnia e conta com quase 190 sensores individuais que tiveram suas primeiras imagens divulgadas em setembro. O diretor do observatório, Steve Kahn, falou sobre o estudo: "Esta câmera de três bilhões de pixels irá cobrir cerca de 10 graus quadrados do céu; e, para dar uma ideia disso, é cerca de 40 vezes o tamanho de uma lua cheia. E vamos tirar fotos do céu a cada 15 segundos".