Notícias » América Pré-Colombiana

269 crianças: Revelado o mais massivo evento de sacrifício infantil conhecido

Descoberta aconteceu no Peru; na ocasião, centenas de animais também foram sacrificados

Alana Sousa Publicado em 17/01/2019, às 13h24 - Atualizado às 15h31

Réplica da Múmia de Plomo, considerada uma vítima de sacrifício infantil
Réplica da Múmia de Plomo, considerada uma vítima de sacrifício infantil - Jason Quinn/Wikipedia Commons

Uma escavação iniciada em 2011, no Peru, trouxe agora novos detalhes e apresentou o que parece ser o maior sacrifício em massa de crianças na história da humanidade. Certamemente, o maior conhecido. Os dados foram apresentados na edição de fevereiro da revista National Geographic.

O sítio foi encontrado por algumas crianças enquanto brincavam nas dunas de areia ao longo de um penhasco, a cerca de 300 metros do mar no norte do Peru. A escavação foi realizada pela equipe de pesquisadores liderados pelo professor Gabriel Prieto, da Universidade Nacional de Trujillo, no Peru, mas foi em 2016 que John Verano, professor da Universidade de Tulane, nos Estados Unidos, assumiu o estudo.

Na escavação, realizada no sítio de Huanchaquito-Las Llamas, descobriram-se os restos mortais de mais de 140 crianças e 200 jovens lhamas. Um segundo local de assassinatos em massa também foi encontrado, dessa vez em uma colina acima da cidade de Huanchaco. O número total chegou a 269 crianças, entre as idades de 5 e 14 anos, e 466 lhamas.

Os pesquisadores contaram à revista que a maioria das crianças foram encontradas em posições incomuns: de costas ou enroladas de lado. Além de estarem enterradas também com o que pareciam ser jovens lhamas ou alpacas. A cerimônia aconteceu cerca de 550 anos atrás.

Sobre a importância da descoberta, Verano conta à National Geographic: "É muito importante e precisamos documentá-la antes que o local seja perdido para a expansão urbana".

A causa do sacrifício ainda é um mistério para os arqueólogos, seus principais palpites são que no primeiro local, em Huanchaquito-Las Llamas,  a área tenha passado por inundações devastadoras e que as crianças possivelmente foram usadas como sacrifícios para impedir a chuva. Já no segundo local, em Huanchaco, não havia nenhuma evidência clara, e os estudiosos procuram entender se a cerimônia foi realizada em algum outro momento de crise.