Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Meteoros

Maior tempestade de meteoros desde 1833 poderá ocorrer essa semana

O evento astronômico está previsto para a madrugada entre os dias 30 e 31

Éric Moreira, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 27/05/2022, às 14h51

Fotografia de estrela cadente/meteorito - Foto por Hans Braxmeier pelo Pixabay
Fotografia de estrela cadente/meteorito - Foto por Hans Braxmeier pelo Pixabay

Astrônomos preveem há anos um evento raro; uma tempestade de meteoros, a partir da chuva de Tau-Herculids. O evento pode acontecer no começo da semana que vem, na madrugada entre os dias 30 e 31 de maio, e deve ser o mais intenso registrado desde 1833.

O fenômeno da 'tempestade de meteoros' se difere do mais usual, a 'chuva de meteoros', por um detalhe simples: ele é mais intenso. Enquanto uma chuva de meteoros pode apresentar de dois a três meteoros por hora, a previsão para a tempestade da próxima semana é de 600 a 700 por hora.

Entretanto, [...] a intensidade deste surto pode atingir até 10 mil, ou talvez, 100 mil meteoros por hora durante a máxima", afirma a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros. "Todas as expectativas apontam que será uma atividade bem elevada. Mas sabemos que há chances que os cálculos falhem, porque é algo inédito e não temos dados suficientes".

A tempestade poderá ser melhor observada no hemisfério norte, mas ainda existe a possibilidade de termos um belo espetáculo nos céus brasileiros, como repercutido pelo portal de notícias Tilt, da UOL.

Tau-Herculids

A Tau-Herculids é uma chuva de meteoros comum, constituída pelos detritos do cometa 73P/Schwassmann-Wachmann 3 (SW3). Todos os anos, nessa época entre maio e junho, a Terra atravessa a trilha de poeira e pequenas rochas que o cometa — que está se despedaçando gradualmente — deixou para trás.

Os melhores lugares para se observar a tempestade serão os Estados Unidos e o México, enquanto no Brasil só poderão ser vistos de 10% a 50% dos meteoros. Para quem desejar observar o fenômeno, recomenda-se procurar um lugar com menos poluição luminosa, bom campo de visão e olhar para toda a área em torno do radiante, a noroeste.