Notícias » Estados Unidos

Mais alta e com ombros largos: esboços revelam que Estátua da Liberdade teve mudança de última hora

Documento mostra que construção não seguiu projeto de Gustave Eiffel e foi modificado após estrutura ser construída

Fabio Previdelli Publicado em 14/04/2020, às 14h54

Estátua da Liberdade e esboço original do projeto
Estátua da Liberdade e esboço original do projeto - Creative Commons

Gustave Eiffel ficou conhecido pela torre parisiense que leva seu nome, no entanto, o engenheiro francês também desempenhou um papel fundamental na construção de outra estrutura mundialmente famosa: a Estátua da Liberdade.

Apesar da figura ser infinitamente reconhecida por seu braço erguido, a ideia original da peça era um pouco diferente. Isso é o que diz documentos adquiridos pelo negociante de mapas, Barry Lawrence Ruderman.

Em 2018, Ruderman comprou um arquivo com materiais da oficina de Eiffel em um leilão que aconteceu em Paris. A aquisição deveria conter apenas cópias relacionadas à construção da Estátua, no entanto, o que ninguém sabia, é que no final do documento havia esboços originais, nunca antes vistos, sobre o planejamento do marco, revelando que mudanças tardias foram feitas no projeto.

Marcas de tinta vermelha foram feitas nos desenhos originais em tinta azul / Crédito: Barry Lawrence Ruderman Antique Maps

 

O negociante só percebeu o real valor do arquivo recém adquirido quando chegou na Califórnia, algumas semanas depois. Lá, ele encontrou uma pilha de papéis presos em conjunto. “Era muito frágil para separar”, disse Alex Clausen, diretor da galeria de Ruderman.

A pilha foi enviada para um especialista, que conseguiu desprendê-los após deixá-los em uma câmara umidificada. Com isso, foi revelado 22 desenhos de engenharia originais da Estátua, muitos com anotações manuscritas e cálculos.

Os esboços retratavam o monumento em diversos ângulos, além de detalhar o suporte estrutural que apoia a enorme estátua. “Sem um bom suporte estrutural, o cobre nunca se sustentaria por si próprio", diz Edward Berenson, historiador da Universidade de Nova York.

Esboços do suporte estrutural da Estátua / Crédito: Barry Lawrence Ruderman Antique Maps

 

Outro detalhe que chamou a atenção foi que os originais mostravam o braço da Miss Liberty com os ombros mais largos e segurando a tocha em uma altura muito maior que a versão construída mais tarde.

Berenson acha que os desenhos podem identificar algo que os historiadores suspeitam há muito tempo, mas que não conseguem provar: Frédéric Auguste Bartholdi desconsiderou os planos de engenharia de Eiffel quando se tratava do braço erguido da estátua, optando por torná-lo mais fino e inclinado para fora — com um apelo dramático e estético.

"Parece que alguém estava tentando descobrir como mudar o ângulo do braço sem destruir o apoio", disse Berenson. A data desse esboço, 28 de julho de 1882, bem como datas em várias páginas de cálculos e diagramas manuscritos pertencentes ao braço, sugerem que essa alteração foi feita depois que grande parte do monumento já havia sido construído.

Os historiadores encontraram poucos registros da colaboração entre Bartholdi e Eiffel, explica Edward, o que torna difícil saber o que realmente aconteceu. "Bartholdi minimizou as contribuições de Eiffel porque ele era um tipo egoísta", diz.

Uma página de cálculos do projeto / Crédito: Barry Lawrence Ruderman Antique Maps

 

Uma possibilidade, segundo o historiador, é que Gustave havia mudado as atenções para outros projetos, já que a construção já estava em seu estágio final. Assim, ele teria designado seus assistentes para finalizarem as coisas com Bartholdi. "Essa pode ser uma das razões pelas quais Bartholdi decidiu que poderia fazer modificações, porque sabia que Eiffel não estava totalmente envolvido", diz Berenson.

Depois de quase uma década de construção e uma cansativa jornada transatlântica entre a França e os Estados Unidos e uma remontagem de dois anos, a Estátua da Liberdade foi finalmente inaugurada em 28 de outubro de 1886.