Notícias » Nigéria

Mais de 200 crianças morreram em ataques suicidas do Boko Haram na Nigéria

Um relatório das Nações Unidas alertou para várias violações que atingiram em apenas três anos 1.385 menores de idade após sequestros pelo grupo jihadista

Vanessa Centamori Publicado em 25/07/2020, às 12h06

Imagem ilustrativa para abuso de menores
Imagem ilustrativa para abuso de menores - Pixabay

Segundo informações da agência de notícias EFE, um relatório da ONU divulgou que o grupo jihadista Boko Haram matou pelo menos 203 menores de idade, a maioria meninas, durante ataques terroristas suicidas entre janeiro de 2017 e dezembro de 2019.

Durante três anos, houve 5.741 violações contra crianças, principalmente recrutamento (3.061) e o uso em ataques suicidas com explosivos (146 meninas e 57 meninos), segundo a ONU. Entre esses crimes, 1.385 deles foram realizados após sequestros orquestrados pelo Boko Haram. 

A estimativa é que pelo menos 1.133 menores de idade tenham sido mortos ou mutilados no nordeste da Nigéria pelo grupo jihadista. Outros 280 sofreram devido às Forças de Segurança local. Entre os crimes cometidos contra as crianças, estão abusos sexuais e cárcere, que ocorrem como resposta às supostas ligações entre os pais de algumas das vítimas e o Boko Haram.

"As crianças da Nigéria e países vizinhos seguiram sofrendo horrendas violações cometidas pelo Boko Haram", confirmou a representante especial do secretário-geral das Nações Unidas para a Infância e os Conflitos Armados, Virginia Gamba.