Notícias » China

Mais de cem tumbas e raros objetos são desenterrados em escola chinesa

Na província de Guangdong, pesquisadores encontraram centenas de artefatos bem preservados das mais importantes dinastias do passado

Alana Sousa Publicado em 14/10/2020, às 12h30

Artefatos da Dinastia Han
Artefatos da Dinastia Han - Instituto Municipal de Patrimônio Cultural e Arqueologia de Guangzhou

Uma impressionante descoberta foi feita em uma escola localizada na capital da província de Guangdong, China. Um total de 125 tumbas, artefatos em bronze e jade, cerâmicas e ruínas da Antiguidade foram desenterradas em uma escavação que teve início em julho e acabou no mês de outubro. As informações foram divulgadas pelo Instituto Municipal de Patrimônio Cultural e Arqueologia de Guangzhou.

Arqueólogos encontraram vestígios de diversas dinastias chinesas, incluindo, a Hang, Ming e Qing. Entretanto, as descobertas mais importantes são da Dinastia pré-Qin, que abrange os anos de 2100 a. C. até 221 a.C. — quando teve início o período Qin.

Potes de cerâmica e bronze / Crédito: Instituto Municipal de Patrimônio Cultural e Arqueologia de Guangzhou

 

Os achados são de grande importância, dado que é a primeira vez que os pesquisadores encontram em Guandong materiais relevantes sobre a época. Entre as relíquias desenterradas estão: 41 tumbas, um poço, vasos de cerâmica, punhal, espada e machado de bronze e, ainda, um fascinante anel de jade.

A escavação também revelou poços, valas, tanques e um conjunto de 470 peças antigas no total. Os arqueólogos se surpreenderam com a grande quantidade bem preservada de artefatos da Dinastia Han, sendo que em sua maioria eram estátuas de gados e aves em cores fortes e conservadas.