Notícias » Escócia

Mandado para casa por médico, homem morre três dias depois

Segundo o profissional de saúde, não havia nada de errado com o paciente

Redação Publicado em 24/01/2022, às 07h23

Imagem ilustrativa de médico
Imagem ilustrativa de médico - Imagem de orzalaga por Pixabay

No dia 23 de dezembro, o escocês Raymond Scougall buscou atendimento médico na região de Glasgow. Apesar de sentir fortes dores no local em que recebera uma facada nove anos antes, acabou sendo mandado para casa pelo profissional de saúde, o qual alegou que não havia qualquer anormalidade com seu paciente.

Três dias depois, em 26 de dezembro, Scougall foi encontrado sem vida no chão de seu quarto por de seu irmão, Gary. Ambos foram esfaqueados por uma terceira pessoa no ano de 2012 e acabaram necessitando de cirurgia para os ferimentos. 

Conforme informações do portal UOL, Gary se recuperou bem após o procedimento, mas Raymond acabou tendo de passar por mais quatro operações para tentar consertar uma hérnia em seu estômago

"Quando ele morreu, a hérnia era do tamanho da cabeça de um bebê saindo de seu estômago. Minha mãe o levava às consultas do NHS [equivalente ao SUS] quando ele precisava ir ao hospital e para a cirurgia, mas eles nunca lhe deram muita ajuda", disse Gary em entrevista ao Daily Record.

"A parede do estômago não aguentava a pressão da hérnia. [...] Ele estava com dores constantes há anos e estava piorando", afirmou o irmão.

"No dia 23 de dezembro, ele foi com minha mãe ao clínico geral porque estava com muita dor. Mas o médico disse a ele: 'Não há necessidade de você estar aqui' e disse à minha mãe: 'Não há nada de errado com ele", completou.  

Contudo, uma autópsia revelou que a morte do escocês estava de fato relacionada à hérnia, que estourou e levou a uma grande perda de sangue.