Notícias » América Latina

Manifestantes ateiam fogo em Palácio Legislativo na Guatemala

O governo foi alvo de protestos após anunciar um plano controverso de orçamento para 2021

Giovanna de Matteo Publicado em 23/11/2020, às 08h59

Sede do Congresso da Guatemala em chamas
Sede do Congresso da Guatemala em chamas - Divulgação / Twitter

Na Guatemala centenas de manifestantes se reuniram na frente do Congresso no último sábado, 21, em um protesto contra o plano de orçamento de 2021, que foi aprovado pelo presidente Alejandro Giammattei, da qual eles pedem que renunciem. As informações são do portal de notícias UOL

A revolta se formou entre a população em decorrência do orçamento, considerado o mais alto da história do país, de acordo com os manifestantes, o plano não contempla investimento em saúde, educação ou no combate à desigualdade social. A maioria do fundo prevista para ser usada em obras de infraestruturas em relação com o setor privado. 

Alguns dos manifestantes ocuparam a parte da frente do palácio Legislativo para atearem fogo no local, que ficou em chamas. As pessoas também estavam equipadas com cartazes que diziam "Chega de corrupção", "Fora Giammattei" e bandeiras do país.

"A Guatemala chora sangue, o povo já está farto de viver pisoteado por mais de 200 anos", disse um manifestante, que não quis se identificar.

A Cruz Vermelha também atendeu diversas pessoas com intoxicação pela fumaça do fogo, segundo Andrés Lemus, porta-voz da organização.

A polícia chamada para conter o protesto prendeu mais de vinte pessoas e quase cinquenta sofreram lesões em decorrência da truculência policial. "Eu estava caminhando e me agarraram. Não fiz nada, tenho meu direito constitucional de greve", afirmou outro manifestante.

Na praça do centro histórico da capital, que fica próximo ao Congresso, outro grupo, que se organizava pacificamente, também foi detido pelos oficiais, que lançaram contra os manifestantes gás lacrimogêneo, e atingiram dezenas de famílias e crianças. 

"Estamos cansados, não há outra forma para demonstrar nosso repúdio, nossa exaustão, estamos cansados de tanto abuso por parte das autoridades", revelou uma manifestante que também preferiu ficar anônima. 

Na noite anterior aos tumultos, o vice-presidente do país, Guillermo Castillo, também se pronunciou contra o governo e pediu a Giammattei que renunciasse. "Pelo bem do país, peço que apresentemos juntos a renúncia ao cargo", declarou Castillo em um discurso nas redes sociais.