Notícias » Arqueologia

Manuscrito rupestre de 2,2 mil anos é encontrado no Irã

O escrito pode nos ajudar a entender como viviam as pessoas comuns no Oriente Médio há mais de 2 milênios

Vanessa Centamori Publicado em 24/06/2020, às 14h05

Manuscrito pré-histórico encontrado no Irã
Manuscrito pré-histórico encontrado no Irã - Divulgação/Mohammad Nasserifard

Conforme apurou a agência iraniana IRIB, um escrito pré-histórico contendo antigas letras Pahlavi, foi encontrado durante escavações em Khomein, no centro do Irã. A gravura é de 2,2 mil anos e é a sexta já encontrada nas terras altas de Teymareh.

“A diferença entre esta inscrição e outras inscrições de Pahlavi descobertas no Irã [que foram encomendadas por monarcas e governantes] é que esses manuscritos pertencem à pessoas comuns e àquelas que estavam longe do poder e dos governos”, explicou à IRIB, o arqueólogo Mohammad Nasserifard.

Segundo o especialista, descobertas como essa, que contém textos antigos, podem ajudar a desvendar como era a visão social e antropológica do povo iraniano que viveu há mais de dois milênios. No caso específico, é possível saber mais sobre a população comum da época, que não fazia parte da nobreza. 

Além disso, Nasserifard acredita que a variedade de escritos encontrados no Irã aponta que "alguns moradores pré-históricos do platô iraniano migraram para as Américas". Isso, pois, foram encontradas similaridades entre as pinturas rupestres iranianas com as do continente americano.