Notícias » Brasil

Martinho da Vila lança biografia de Noel Rosa e Cartola

Coleção “Martinho Conta...” é destinada aos jovens leitores e revisita a biografia de importantes personagens do samba

Redação Publicado em 17/08/2021, às 15h12

Capas dos lançamentos
Capas dos lançamentos - Divulgação / Editora Lazuli

A Lazuli Editora apresenta dois lançamentos em e-book e impresso para o mês de setembro, com pré-vendas disponíveis e escritos por Martinho da Vila. A série de títulos é destinada para jovens leitores e leva o nome de “Martinho Conta...”.

O cantor, compositor e escritor narra a curta trajetória do sambista Noel Rosa(1910-1937), um dos mais importantes nomes da música popular brasileira e relata, com sua saborosa prosa poética, a trajetória de Agenor de Oliveira (1908-1980), Cartola. Os títulos estarão disponíveis a partir de 16 de setembro e já podem ser adquiridos na pré-venda.

Em “Martinho Conta Noel”, o autor parte de um cenário ficcional, a Escola de Música Dona Marta, para apresentar o compositor de Com que roupa para as novas gerações. É na sala de aula, através da voz dos professores Manoélio Medeiros, de violão, e Dona Marta, docente de teoria e história da música brasileira, que os pré-adolescentes da turma conhecem o itinerário de Noel Rosa, o poeta da Vila Isabel, bairro onde viveu.

Por meio da elegante e suave prosa de Martinho, a narrativa adentra pelas experiências que marcaram o Noel: a lesão facial, adquirida ao nascer e que prejudicaria seus hábitos alimentares ao longo da vida, as dificuldades do período em que estudou no religioso Colégio São Bento (era um brincalhão indisciplinado, relata o autor) e o gosto pela música, que o impulsionou a compor e tocar de forma autodidata - ou "de ouvido".

A poética e o humor presentes nas composições de Noel Rosa, os diversos amores e a intensa vida boemia no Rio de Janeiro do começo do século 20 também possuem espaço na publicação, e são temas do olhar analítico do autor, na medida em que os estudantes fazem os questionamentos próprios a respeito do homenageado.

Já em “Martinho Conta Cartola”, Vila narra uma historiazinha minibiografia, segundo suas palavras, partindo das origens do sambista, nascido no bairro do Catete. Está na obra, também, a história que precedeu o carinhoso apelido recebido pelo autor de "As rosas não falam".

Adolescente, trabalhando como pintor, precisava proteger a cabeça dos respingos da tinta quando teve a idéia de improvisar um chapéu alto, feito com toalhas. Assim, nascia uma das alcunhas mais famosas do cenário cultural do país.

O livro revela ao público, ainda, momentos únicos da vida no Rio de Janeiro do século passado, como a fundação da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, antes um bloco de carnaval improvisado por amigos.

Movido pela boemia na juventude, Cartola foi um dos criadores da agremiação, e participou ativamente da escolha das cores verde e rosa para representar a icônica entidade carnavalesca.

Passeando pelos morros da capital fluminense e seguindo os altos e baixos pessoais e profissionais vividos pelo compositor de "Preciso me encontrar", o escritor constrói imagens singelas da vida do músico, como a descoberta do violão, o casamento com Dona Zica (pseudônimo da também sambista Euzébia Silva do Nascimento) e a consagração como músico popular, enquanto enaltece, também, os demais nomes notáveis do samba ligados à vida e obra do homenageado.

Sobre o autor

Reconhecido pelo ecletismo em sua musicalidade em mais de 50 anos de carreira, Martinho José Ferreira, o Martinho da Vila, é cantor, compositor e escritor de renome internacional. Em 1999 fundou a editora ZFM, pela qual publicaria seu primeiro romance "Joana e Joanes". Publicou, entre outros títulos, "Vamos brincar de política" ( ZFM, 1986), voltado para o público juvenil; "Kizombas, andanças e festanças" (ZFM, 1992) e "A Rainha de Bateria" (Lazuli Editora, 2009).