Notícias » Europa

Mais lidas: Máscara africana arrematada por 4.2 milhões euros causa polêmica na França

Comunidade africana alega que item é um “ativo colonial adquirido ilegalmente"

Fabio Previdelli Publicado em 28/03/2022, às 16h24 - Atualizado em 02/04/2022, às 07h00

Máscara africana arrematada por 4.2 mi euros em leilão
Máscara africana arrematada por 4.2 mi euros em leilão - Divulgação/YouTube/EuroNews

No último sábado, 21, o leilão de uma máscara esculpida da África Central, do século 19, gerou protestos pouco antes ser arrematada por 4,2 milhões de euros, pouco mais de R$24 milhões. 

Afinal, conforme explica matéria da AFP, a peça de 55 centímetros de altura chegou à França em meados de 1917, pelas mãos do colonizador René-Victor Edward Maurice Fournier. Entretanto, as circunstâncias em que o produto foi ‘dado’ ao francês são desconhecidas.  

Sabe-se que a máscara, que possui apenas 10 exemplares semelhantes espalhados pelo mundo, pertencia a uma sociedade secreta gabonesa do povo Fang. “Isso é um saque”, protestou um homem que estava presente na sala de leilões. Ele diz ser parte da comunidade gabonesa de Montpellier. 

Não se preocupe, vamos fazer uma denúncia. Para os nossos, meus ancestrais, da comunidade Fang, vamos recuperar esse objeto… [um] ativo colonial adquirido ilegalmente", completou ao lado de seus compatriotas, que foram retirados do local sem qualquer tipo de resistência. 

Apesar do episódio, o leilão seguiu normalmente e a peça superou de maneira avassaladora a estimativa inicial que ficou entre 300.000 e 400.00 euros, segundo anunciou o Hotel des Ventes em um comunicado. 

Contando os impostos, o item ultrapassou o valor de 5,25 milhões de euros, se equiparando ao preço de uma outra máscara Fang — que inspirou grandes artistas como Picasso e Modigliani no início do século passado. A peça foi arrematada por 5,9 milhões de euros em um leilão que aconteceu em Paris, em 2006. 

O item foi disputado por dez compradores, sendo que a oferta final foi feita por telefone. Além da máscara, um trono do Congo também estava à venda, sendo arrematado por 44 mil euros.