Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Personagem

Matriarca acusada de ser líder de clã de narcotraficantes é presa em Honduras

Herlinda Bobadilla seria a chefe do clã Montes, cujo fundador tinha ligações estreitas com o cartel de drogas de Cali

Redação Publicado em 16/05/2022, às 14h29

Prisão de Herlinda Bobadilla em Honduras - Divulgação/Youtube/videosproceso
Prisão de Herlinda Bobadilla em Honduras - Divulgação/Youtube/videosproceso

Uma mulher acusada de ser líder de um clã de narcotraficantes foi presa pela polícia de Honduras nesta segunda-feira, 16, após um tiroteio nas montanhas do país em que um de seus filhos foi morto.

A autoridades acreditam que Herlinda Bobadilla, de 61 anos, chefiava o clã Montes, um dos maiores cartéis de narcotráfico de Honduras, formado por ela e seus quatro filhos, que recebe carregamentos de cocaína da América do Sul.

Tito Montes, que também teria feito parte do cartel, foi morto durante a ação, mas outro filho da matriarca, Juan Carlos Montes, de 35 anos, permanece foragido, segundo reportou a BBC News.

O Departamento de Estado dos EUA havia solicitado que Bobadilla e os dois filhos fossem extraditados para o país, oferecendo uma recompensa de US$ 5 milhões, cerca de R$ 25 milhões, por cada um deles.

Após a oferta, a polícia de Honduras passou a receber uma série de denúncias sobre o caso, localizando os suspeitos nas montanhas da província de Colón e logo enviando forças especiais até a área.

A prisão

Em nota, as autoridades do país disseram que a prisão da mulher aconteceu após um “intenso confronto” e a morte do filho dela ocorreu "quando abriu fogo contra agentes de operações especiais".

Como destacou a reportagem, o clã Montes teria sido fundado nos anos 1980 pelo hondurenho Pedro García Montes, que possuía relações próximas com o famoso cartel de drogas de Cali, na Colômbia.