Notícias » EUA

Médico que realizava inseminações artificiais desde 1940 pode ter centenas de filhos

O médico americano Philip Peven utilizava seu próprio material genético e de outros profissionais de sua equipe para realizar os procedimentos

Giovanna Gomes Publicado em 15/12/2020, às 08h55 - Atualizado às 08h56

O médico pode ter centenas de filhos
O médico pode ter centenas de filhos - Divulgação/SWNS

Um médico de 104 anos que tinha uma clínica de reprodução assistida em Detroit pode ser o pai biológico de mais de cem filhos de suas antigas pacientes. Foi comprovado por testes que, ao menos cinco pessoas seriam filhas do Dr. Philip Peven, que hoje vive no estado norte-americano de Michigan.

Conforme divulgado pelo UOL, antigamente as inseminações só podiam ser feitas com esperma fresco, o médico usava o próprio material genético e de outros profissionais de sua equipe para inseminar pacientes, que eram informadas de que se tratava de doadores anônimos.

Recentemente, Jamie Hall, de 61 anos, descobriu que era filha de Pven a partir de uma pesquisa em sites de DNA. Ela descobriu que era 50% judia da etnia ashkenazi, mas ninguém em sua família é judeu.

A mulher percebeu que em sua certidão de nascimento constava o nome de Philip Peven como ginecologista e obstetra. E foi assim que surgiram as respostas que procurava.

Em janeiro de 2020, Jamie e sua irmã mais velha, Lynn, que também nasceu após inseminação realizada na clínica, contataram o médico e decidiram encontrá-lo. Peven confessou que era doador de esperma desde 1947 e que ele nunca imaginou que o DNA um dia pudesse ser rastreado.

Jamie afirmou ao jornal não ter sentimentos negativos em relação ao pai. "Muitas pessoas que procurei se sentiram traídas, enganadas, estão tendo questões existenciais. Mas eu não vejo dessa forma", declarou a mulher. "Só me sinto grata por estar viva".