Notícias » Brasil

“Meia dúzia de esquedopatas”, diz Malafaia a respeito de religiosos que pediram impeachment

O pastor da Assembleia de Deus têm apoiado o governo atual desde sua eleição em 2018

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 28/01/2021, às 14h00

Fotografia de Malafaia com Bolsonaro
Fotografia de Malafaia com Bolsonaro - Divulgação/ Instagram

Nesta quinta-feira, 28, o pastor Silas Malafaia manifestou-se em sua conta do Twitter a respeito do pedido de impeachment de Jair Bolsonaro feito por líderes religiosos no dia de ontem, 27. 

"Meia dúzia de esquerdopatas evangélicos, apoiadores de corruptos que produziram o maior esquema de corrupção da história política do Brasil, fazendo manifesto de impeachment de Bolsonaro. Não representam nem 0,5% dos evangélicos", declarou o religioso da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, que é conhecido pelo seu apoio ao governo atual. 

Segundo os 380 pastores, bispos e padres que assinaram o pedido pela destituição do presidente, Bolsonaro cometeu um “crime de responsabilidade” em sua administração da pandemia de coronavírus, destacando que o período crítico “escancarou o desprezo do atual governo pela proteção à saúde da população e evidenciou condutas criminosas".

De acordo com a pastora Romi Márcia Bencke, Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil, em entrevista ao Globo, a presença de diferentes posicionamentos políticos dentro da comunidade cristã não é uma surpresa: 

“Temos a consciência de que nem todas as pessoas das nossas igrejas são favoráveis a esse ato que estamos fazendo, mas é importante destacar essa pluralidade e as contradições que existem no âmbito do Cristianismo. Nem todo cristianismo é bolsonarista", concluiu ela.