Notícias » Religião

Membro da comissão do Vaticano diz que Francisco ficou “machucado” com veto a benção para gays

Homossexual assumido, Juan Carlos Cruz firmou que o Papa que ele conhece “não se referiria à comunidade LGBT dessa maneira

Fabio Previdelli Publicado em 13/04/2021, às 11h19

Imagem ilustrativa do Papa Francisco durante um discurso
Imagem ilustrativa do Papa Francisco durante um discurso - Getty Images

No dia 15 de março deste ano, a equipe do site Aventuras na História noticiou que o Vaticano publicou um documento anunciando que padres e outro ministros da Igreja Católica não podem abençoar a união entre pessoas do mesmo sexo. 

Porém, apesar do aval do Papa Francisco para o documento, Juan Carlos Cruz, chileno que é o novo membro da comissão do Vaticano para o combate à pedofilia, afirmou que o líder da Igreja Católica está “muito machucado” por causa da publicação do documento.  

Em entrevista ao jornal chileno La Tercera Cruz, que foi repercutido pela ANSA, Cruz disse que conversou com Francisco após a divulgação do texto. "Não quero contar nenhuma intimidade, mas sei que o Papa é um homem que está muito machucado com isso, ainda que ele seja, em última instância, o responsável. Sinto que, de alguma forma, ele vai reparar essa situação". 

Ainda durante a entrevista, Juan Carlos afirmou que o Papa que ele conhece “não se referiria à comunidade LGBT dessa maneira”, se recordando que ouviu de Francisco uma das declarações mais progressistas de um pontífice a respeito de homossexuais: "Juan Carlos, o fato de você ser gay não importa. Deus te fez assim". 

Homossexual assumido, Juan Carlos Cruz foi vítima de pedofilia pelo padre Fernando Karadima, como relata matéria do UOL. Em março deste ano, ele foi nomeado para integrar a Pontifícia Comissão para a Tutela dos Menores, que foi instituída pelo Papa Francisco para enfrentar a violência sexual no clero.