Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Menina que desapareceu em 2019 é encontrada em quarto escondido

A garota sumiu aos apenas quatro anos de idade e foi encontrada novamente em um quarto improvisado sob escadas nos EUA

Redação Publicado em 16/02/2022, às 13h44

Imagem ilustrativa - Pixabay/RockYourCradle
Imagem ilustrativa - Pixabay/RockYourCradle

Em 2019, uma garota foi dada como desaparecida no bairro Cayuga Heights, em Nova York, nos Estados Unidos, aos apenas quatro anos de idade no dia 13 de julho. Recentemente, ela foi encontrada viva em um quarto escondido sob escadas em uma casa.

Quando Paislee Shultis, as autoridades suspeitaram dos pais da menina sem custódia, Kimberly Cooper e Kirk Shultis Jr. No entanto, como nenhuma prova foi apresentada contra eles sobre o caso, não houve prisão.

Buscas foram feitas na residência do casal na última segunda-feira, 14, e revelaram a menina viva junto à mãe em um quarto improvisado situado abaixo das escadas. Lá, estavam Shultis Jr. e seu pai, Kirk Shultis Sr., de 57 anos.

O homem negou que soubesse a localização da menina, que foi encontrada somente após horas de buscas na casa. Só foi possível descobrir que ela estava no local após um investigador iluminar uma rachadura e observar o que poderia ser um cobertor.

"A criança foi localizada em um quarto improvisado, debaixo de uma escada que ia para o porão da residência", informou a polícia em comunicado, segundo o portal Yahoo!. "Após a remoção de tábuas dos degraus, a criança e sua abdutora, Kimberly Cooper, foram encontradas se escondendo no local escuro e úmido."

"Diversas dessas pistas levaram a polícia até a casa na Avenida Fawn", continuaram as autoridades na nota. "Infelizmente, em todas as ocasiões os residentes negaram saber a localização da garota."

Os pais e avô da menina foram detidos e acusados de interferência na custódia e de colocar em risco o bem-estar de uma criança. Já a garota foi transferida para o departamento de polícia de Saugerties, onde foi examinada e foi constatado que ela não apresenta nenhum risco de saúde.

A menina foi levada para seu guardião legal e os pais não poderão se comunicar com ela até que as investigações cheguem ao fim. Ela demorou a ser encontrada pois a polícia nunca conseguia pistas: Shultis Jr., por exemplo, afirmou uma vez que não via a menina desde 2019 e que a mãe havia se mudado para a Pensilvânia.