Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Crime

Menino órfão por tiroteio nos EUA recebe R$ 13,5 milhões em doações

Aiden McCarthy, de 2 anos, teve ambos os pais assassinados durante massacre de 4 de julho nos Estados Unidos

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 07/07/2022, às 16h44 - Atualizado às 16h45

Montagem mostrando fotografias do menino em que seu rosto é desfocado - Divulgação/ Arquivo Pessoal
Montagem mostrando fotografias do menino em que seu rosto é desfocado - Divulgação/ Arquivo Pessoal

Entre os sete mortos deixados pelo tiroteio ocorrido no estado norte-americano de Illinois na última segunda-feira, 4, estavam ambos os pais de um menino de apenas 2 anos. 

Aiden McCarthy foi encontrado vagando pela multidão com as roupas ensanguentadas, e em seguida levado por estranhos até um local seguro. Ele foi identificado e devolvido aos cuidados de sua família após uma publicação através das redes sociais, de forma que atualmente vive com os avós maternos, segundo apurado pela AFP. 

O massacre, ocorrido em meio a um desfile de comemoração de 4 de julho, Dia da Independência dos Estados Unidos, foi perpetrado por um atirador escondido no telhado de um prédio.

Robert Crimo, de 21, que foi preso horas após o episódio e está sendo acusado de assassinato por conta dele, teria sido responsável por matar 7 pessoas e ferir outras 39 fazendo uso de um rifle semiautomático, semelhante a uma AR-15. 

Caridade 

A situação precária de Aiden McCarthy, traumatizado e tornado órfão devido ao episódio de violência armada, levou à criação de uma vaquinha virtual na plataforma GoFundMe, em que foram pedidas doações como ajuda à sua família. 

Em poucos dias, as doações de 46 mil pessoas somaram a incrível quantia de 2,5 milhões de dólares, ou o equivalente a 13,5 milhões de reais se convertido para nossa moeda. O valor ultrapassou em muito aquele pedido inicialmente, que era de 500 mil dólares. 

Uma das maiores doações foi feita por Bill Akman, um empresário norte-americano que atua no mercado de ações e possui um patrimônio bilionário. Ainda de acordo com a AFP, o investidor enviou 18 mil dólares para a campanha de caridade centrada no menino de 2 anos.