Notícias » Crimes

A mensagem criptografada do Assassino do Zodíaco desvendada 50 anos depois

Em 2020, um dos enigmas do criminoso que chama atenção ao redor do mundo foi desvendado

Alana Sousa Publicado em 12/12/2020, às 11h30 - Atualizado em 07/10/2021, às 10h06

Ilustração do psicopata
Ilustração do psicopata - Divulgação/San Francisco Police Department e Creative Commons

Nesta quarta-feira, 7, detetives indepedentes afirmaram ter descoberto a identidade de um personagem por trás de um dos maiores enigmas da História: o Assassino do Zodíaco.

Profissionais do Case Breakers acreditam que um homem chamado Gary Francis Poste, que faleceu no ano de 2018 e teria trabalhado durante muitos anos como pintor de casas, seria o homem por trás da figura. Contudo, não é a primeira vez que essa história apresenta desdobramentos. 

Em dezembro de 2020...

Um anúncio inusitado divulgado em dezembro de 2020 trouxe à tona novamente o mistério que aterrorizou a Califórnia, Estados Unidos, no final nos anos 1960 e até hoje nunca foi identificado. 

Desde 2006, um trio de criptógrafos trabalharam para desvendar uma mensagem criptografada do serial killer, que teria sido enviada ao jornal San Francisco Chronicle, em 1969.

Apesar de esperarem que a mensagem escondesse alguma pista sobre a identidade do homicida, o texto apenas é mais um desafio contra as autoridades e, em geral, bem vago.

“Espero que estejam se divertindo muito tentando me pegar... Não tenho medo da câmara de gás porque ela vai me mandar para o paraíso muito mais cedo porque agora tenho escravos suficientes trabalhando para mim”, escreveu o Assassino do Zodíaco.

A equipe demorou mais de dez anos para descodificar as letras e símbolos, pois, segundo eles, o enigmático homem utilizou de um sistema de criptografia destinado a militares. Diferente de outras mensagens enviadas à polícia na época dos assassinatos, esta ofereceu um desafio maior.

Os especialistas foram: o web designer David Oranchak, o matemático australiano Sam Blake e, o especialista em logística da Bélgica, Jarl Van Eykcke.

O Assassino do Zodíaco

Considerado o crime perfeito, as ações do desconhecido assassino entraram para a História pela complexidade e peculiaridade. Durante dez meses, no final da década de 1960, o homicida matou cinco pessoas, apesar de ter reivindicado 37.

As vítimas tinham entre 16 e 29 anos, em sua maioria, perderam a vida sendo baleadas ou esfaqueadas.

O caso foi marcado pelas muitas cartas enviadas para delegacia e à imprensa. Uma delas dizia: “gosto de matar porque é muito engraçado"; as mensagens sempre estavam codificadas e escritas com colagens de letras de jornais e revistas.

Após 1974, o homem parou de enviar as famosas cartas e o caso, sem pistas, caiu no esquecimento.