Notícias » Brasil

Mesmo sem previsão de alta, Bolsonaro evolui 'de forma satisfatória'

Segundo boletim médico do hospital, o presidente segue sendo tratado pelo "planejamento terapêutico previamente estabelecido"

Pamela Malva Publicado em 15/07/2021, às 17h00

Fotografia do presidente Jair Bolsonaro
Fotografia do presidente Jair Bolsonaro - Getty Images

Após ser diagnosticado com um quadro de obstrução intestinal, o presidente Jair Bolsonaro foi internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, nesta quarta-feira, 14. Agora, o mais recente boletim médico informou que a condição de saúde do político evoluiu consideravelmente, mas o político ainda não tem uma previsão de alta.

Uma vez hospitalizado, o presidente está sendo acompanhado pelo filho, Carlos Bolsonaro, pela esposa, Michelle Bolsonaro, e pelo cirurgião gástrico Antonio Luiz Macedo — que cuida de Bolsonaro desde o ataque que ele sofreu em 2018.

O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, segue internado no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, evoluindo de forma satisfatória clínico e laboratorialmente”, afirmou o boletim do hospital. “Permanece o planejamento terapêutico previamente estabelecido. O Presidente segue sem previsão de alta hospitalar.”

Da mesma forma, o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), visitou Bolsonaro e afirmou que "sua recuperação tem sido acima do esperado". “Ele passa bem, mas continuará a fazer alguns exames e avaliações”, finalizou o ministro.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro)

 

O tratamento

Em sua conta no Telegram, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, compartilhou um vídeo onde torce para que o pai não precise de uma cirurgia. Desde que deu entrada no hospital, Jair Bolsonaro passa por uma bateria de exames para verificar se existe a necessidade de um procedimento para desobstruir seu intestino.

Acontece que, segundo Eduardo, foi encontrada uma dobra ou aderência no intestino de Bolsonaro, o que impediu a passagem de alimentos. Dessa forma, o presidente sentiu intensas dores abdominais geradas pela retenção de líquidos em seu estômago.

Dessa forma, ainda na noite de quarta-feira, um boletim médico afirmou que Bolsonaro será submetido a um “tratamento clínico conservador”, cujo objetivo é tratar dos problemas intestinais, mas sem uma cirurgia. O Hospital Vila Nova Star, por sua vez, pontuou, em nota oficial, que sua equipe médica concordou em seguir o mesmo plano.