Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Espaço

Meteoro risca os céus do Rio Grande do Sul e impressiona moradores

Fenômeno foi registrado na noite da última quinta-feira, 15

Fabio Previdelli Publicado em 18/06/2022, às 10h22

Meteoro que passou pelo Rio Grande do Sul - Observatório Espacial Heller & Jung
Meteoro que passou pelo Rio Grande do Sul - Observatório Espacial Heller & Jung

Na última quinta-feira, 15, a passagem de um meteoro sobre a praia de Cidreira, no litoral norte do Rio Grande do Sul, impressionou os moradores. O corpo celeste deixou um risco longo e brilhante no céu. 

A passagem do meteoro aconteceu por volta das 22h37. Segundo astrônomos, o fenômeno é classificado como “earthgrazer” (ou ‘rasante’, em tradução livre), pelo fato de passar apenas de raspão. 

Conforme explica matéria do Tilt, do UOL, esse tipo de fenômeno acontece quando uma rocha espacial pequena adentra nossa atmosfera superior em um ângulo não muito elevado, o que faz com que o corpo celeste apenas “quique” e volte ao espaço. Isso explica o motivo dele ter deixado um rastro que parecia subir ao invés de descer. 

Não muito frequente

O fenômeno, por si só, já não é uma coisa muito comum de se acontecer, o que deixa a situação ainda mais rara é que tudo foi registrado por câmeras do Observatório Espacial Heller & Jung, que fica a cerca de 100 quilômetros de distância — na cidade de Taquara (RS) — de onde tudo aconteceu. 

"A análise inicial indica que foi um earthgrazer da chuva de meteoros Southern June Aquilids, que é uma chuva fraca que ocorre neste período de junho", explica Carlos Fernando Jung, proprietário do observatório e diretor da Bramon (Rede Brasileira de Observação de Meteoros), ao Tilt. 

À medida que um earthgrazer passa pela nossa atmosfera, sua massa e velocidade mudam, de modo que sua órbita, ao reentrar no espaço, será diferente do que quando encontrou a atmosfera terrestre", completa.