Notícias » Mundo

Ministro da Saúde de Trinidade e Tobago desmente fala negacionista de Nicki Minaj sobre vacina contra Covid-19

A rapper havia sugerido em suas redes sociais que o imunizante que combate o Coronavírus poderia causar impotência

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 15/09/2021, às 20h00

Fotografia de Niki Minaj (à esq) e Terrence Deyalsingh (à dir)
Fotografia de Niki Minaj (à esq) e Terrence Deyalsingh (à dir) - Divulgação/ Instagram/ @nickiminaj/

Na última segunda-feira, 13, a rapper Nicki Minaj, nascida em Trindade e Tobago, abordou seus posicionamentos a respeito da vacina contra a covid-19 em seu Twitter.

A ocasião que levantou o tema foi o Met Gala, o baile anual de angariação de fundos para o Museu de Arte de Nova York. Acontece que, para sua edição de 2021, o evento apenas permitiu a entrada de pessoas que já estavam imunizadas contra o Coronavírus. 

Se eu for me vacinar, não vai ser para o Met. Será quando eu sentir que fiz pesquisa o suficiente. Estou trabalhando nisso agora", afirmou a cantora, em suas redes sociais. 

Em seguida, Nicki narrou aos seguidores uma história que supostamente teria ocorrido com o amigo de seu primo, que vive no país caribenho de Trinidade e Tobago. 

"Meu primo em Trinidade não vai se vacinar porque seu amigo se vacinou e ficou impotente. Os testículos dele ficaram inchados. O amigo dele estava a semanas de se casar, e agora a garota cancelou o casamento. Então apenas certifique-se que você está confortável com sua decisão, e não a esteja tomando porque foi intimidado", escreveu. 

As afirmações da artista, todavia, geraram repercussões inusitadas. Segundo informações do site Pitchfork, a CNN entrevistou um dos maiores imunologistas dos Estados Unidos, o Dr. Anthony S. Fauci, que confirmou que não havia nenhuma evidência que as vacinas da Pfizer, Moderna ou Johnson & Johnson causassem quaisquer problemas reprodutivos em homens ou mulheres. 

Depois desse episódio, o próprio Ministro da Saúde de Trinidade e Tobago, Terrence Deyalsingh, se manifestou em uma coletiva de imprensa, abordando as alegações de Minaj

Pelo que sabemos até o momento, não houve nenhum efeito colateral ou evento adverso relatado. E o que é triste sobre isso é que perdemos nosso tempo ontem, tentando verificar, porque levamos todas essas afirmações a sério, seja nas mídias sociais ou na mídia convencional", narrou o ministro.

"Do jeito que estamos agora, não há absolutamente nenhum efeito colateral ou evento adverso relatado de inchaço testicular em Trinidade ou, ouso dizer, em qualquer outro lugar. Nenhum que conhecemos em qualquer outro lugar do mundo", concluiu o político.