Notícias » Brasil

Ministro da Saúde defende 'uso racional' do oxigênio em hospitais

Proposta foi feita durante reunião com senadores da Comissão Temporária da Covid-19 e tem colaboração de professor da USP

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 30/03/2021, às 14h00

Fotografia de Marcelo Queiroga
Fotografia de Marcelo Queiroga - Wikimedia Commons

Na última segunda-feira, 29, o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, propôs um uso racionado de oxigênio nos hospitais como medida para lidar com o colapso do sistema de saúde causado pela pandemia do Coronavírus

“Todos sabemos que muitas pessoas chegam aos hospitais e às vezes a primeira providência é colocar o oxigênio nasal em quem não precisa de oxigênio. Então vamos tentar economizar. Vamos fazer uma grande campanha junto aos profissionais de saúde para o uso racional do oxigênio”, afirmou, segundo repercutido pela CNN. 

A proposta foi feita durante reunião entre o ministro e os senadores da Comissão Temporária da Covid-19 no Senado Federal. Queiroga ainda comentou que estava trabalhando em colaboração com Carlos Carvalho, um professor da USP, para realizar o racionamento sugerido.

O político também destacou a necessidade do uso de máscaras como forma de conter o vírus: "Se todos os brasileiros usassem máscaras, nós teríamos efeito quase igual ao da vacinação. Que as pessoas se conscientizem da importância de usar máscara", concluiu, ainda de acordo com o veículo.

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra 12.573.615 de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 313.866 no país.

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 127.720.218 de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2.793.564 de mortes.