Notícias » Roma Antiga

Moeda de mais de 2 mil anos sobre a morte de Júlio César será leiloada este mês

A Idos de Março de ouro é apenas o terceiro exemplar conhecido nos dias de hoje. Cunhada em 42 a.C., item deve ser arrematado por mais de 3 milhões de reais

Fabio Previdelli Publicado em 08/10/2020, às 13h00

Idos de Março de ouro
Idos de Março de ouro - Divulgação/ Numismatic Guaranty Corporation

Um exemplar até então não registrado de uma antiga moeda de ouro, o “Idos de Março”, comemorando o assassinato do ditador romano Júlio César, em 44 a.C., teve sua autenticidade confirmada por especialistas em moedas nos Estados Unidos e no Reino Unido. Apenas outras duas Idos de Março de ouro haviam sido autenticadas até hoje.

Segundo os especialistas, a raridade do níquel o classifica como “uma obra-prima da cunhagem antiga”. “Foi feito em 42 a.C, dois anos após o famoso assassinato, e é uma das moedas mais importantes e valiosas do mundo antigo”, explicou Mark Salzberg, presidente da Numismatic Guaranty Corporation, com sede em Sarasota, Flórida, empresa da qual especialistas confirmaram a autenticidade da moeda.

A frente da moeda apresenta um retrato de Marco Júnio Brutus, um dos assassinos de César, e o a outra face mostra dramaticamente duas adagas e a inscrição “EID • MAR”. As iniciais representam a abreviatura latina dos idos de março, que corresponde a 15 de março no calendário e é a data do assassinato de César.

Embora se saiba que ainda existem cerca de 100 moedas de prata dos idos de março, este é apenas o terceiro exemplar cunhado em ouro: um está no Museu Britânico por empréstimo de um colecionador particular e o outro está na coleção do Deutsche Bundesbank.

“Houve rumores de um terceiro exemplar, e os autenticadores do NGC ficaram entusiasmados quando esta moeda foi apresentada em nosso escritório de Londres e enviada para avaliação em nossa sede em Sarasota”, disse Salzberg.

Agora, a moeda será oferecida em leilão público pela Roma Numismatics Limited de Londres, no próximo dia 29. De acordo com a casa de leilões, o item foi mantido em uma coleção privada europeia por muitos anos.

“A estimativa conservadora pré-leilão é de £ 500.000 [algo em torno dos R$3.625.000,00], mas considerando a raridade, a arte e o lugar fabuloso da moeda na história, não ficaria surpreso se ela fosse vendida por vários milhões”, previu Salzberg.

Para aumentar seu apelo, a moeda ainda está em perfeitas condições, de acordo com os especialistas da NGC, apesar de ter mais de 2 mil anos. Entre as duas adagas no verso da moeda está um “pileus” — um gorro de liberdade tradicionalmente dado aos escravos romanos quando eles eram libertados. A imagem do chapéu era uma declaração simbólica de que Roma foi libertada após o assassinato do ditador tirano.

“É uma pequena moeda de ouro com grande valor histórico e colecionador”, acrescentou Salzberg. “É a obra-prima indiscutível da cunhagem antiga.”