Notícias » Família Real Britânica

Monarquia britânica critica novo documentário da BBC: 'Afirmações exageradas e infundadas'

A polêmica produção, intitulada "The Princes and The Press", foi transmitida pela primeira vez na segunda-feira, 22

Pamela Malva Publicado em 23/11/2021, às 16h00

Fotografia da família real britânica em 2016
Fotografia da família real britânica em 2016 - Getty Images

Na última segunda-feira, 22, a emissora britânica BBC transmitiu o primeiro episódio de um novo documentário sobre a Família Real Inglesa. Segundo o G1, no entanto, a monarquia não gostou muito das informações apresentadas pela produção.

Dividido em duas partes, o documentário "The Princes and The Press" ('Os Príncipes e a Imprensa', em tradução livre) narra a curiosa relação entre a imprensa e os príncipes William e Harry — que sempre tiveram problemas com a mídia britânica.

Acontece que, com o passar dos anos, os herdeiros de Charles e Lady Di denunciaram por diversas vezes a pressão dos jornalistas sobre sua família. Em determinados momentos, essa polêmica relação culminou até mesmo em processos judiciais.

Dessa vez, contudo, o documentário da BBC incomodou a monarquia britânica porque, segundo narraram alguns veículos de comunicação, nenhum parente da Rainha Elizabeth II foi convidado para a inédita produção. Por isso, representantes da Família Real ameaçaram não participar de futuros projetos da emissora britânica.

Harry e William em funeral da avó materna, Frances Shand Kydd, no ano de 2004 / Crédito: Getty Images

 

Diante da resposta da realeza, a BBC veiculou, no final do primeiro episódio do documentário, uma mensagem enviada pela própria monarquia. “Uma imprensa livre, responsável e aberta é de vital importância para uma democracia saudável”, afirmou o comunicado dos palácios de Buckingham, Clarence House e Kensington.

Porém, com muita frequência, as afirmações exageradas e infundadas de fontes anônimas são apresentadas como fatos e é decepcionante que alguém, incluindo a BBC, dê credibilidade a estas", finalizaram as residências da rainha Elizabeth II, do príncipe Charles e do príncipe William.

Ouvido pelo documentário, o investigador particular Gavin Burrows afirmou que, em meados dos anos 2000, a imprensa britânica não tinha “nenhuma moral”, além de ser “impiedosa”, principalmente quando o assunto era o príncipe Harry.

O próprio investigador, inclusive, aproveitou para pedir desculpas por um episódio que protagonizou no passado. Na época, ele hackeou o telefone da então namorada de Harry para vender seus dados pessoais ao tabloide "News of the World". Isso tudo porque, até então, as informações do príncipe mais novo vendiam mais do que as de William.