Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Personagem

Moondyne Joe, o fugitivo prisional mais notório da Austrália

Após quatro escapadas, Joe foi desafiado por um governador: "Se você sair de novo, eu vou te perdoar". E ele conseguiu

Fabio Previdelli | @fabioprevidelli_ Publicado em 29/05/2022, às 07h00

Retrato de Moondyne Joe - Domínio Público via Wikimedia Commons
Retrato de Moondyne Joe - Domínio Público via Wikimedia Commons

À certa altura, Joseph Johns já havia escapado tantas vezes da prisão que as autoridades de Fremantle, na Austrália, já não sabiam mais o que fazer para mantê-lo preso. Para isso, decidiram que ele só seria autorizado a sair de sua cela para quebrar algumas pedras no pátio da prisão. 

A estratégia era vista com tanta certeza que John Hampton, governador da Austrália Ocidental, disse em tom de deboche: "Se você sair de novo, eu vou te perdoar". Johns aceitou o ‘desafio’ e conseguiu escapar pela quinta vez. 

Desde então, Moondyne Joe, como também é chamado, ficou marcado para sempre na história do país como um dos fugitivos mais prolíficos de todos os tempos. Se tornando uma verdadeira lenda local. 

Um criminoso não muito eficiente

Se Joseph era um ótimo escapista, o mesmo não podemos dizer de sua carreira como criminoso. A primeira vez que ele foi preso, em 1848, ele havia roubado três pães, vários queijos e um pouco de bacon de uma casa em Chepstow, no País de Gales. 

Segundo relatado pelo jornal australiano 9News, a punição para tal crime costumava ser de apenas três meses de detenção. Mas um mal estar com o juiz acabou elevando essa pena para 10 anos de servidão penal. 

Com quatro anos da pena cumprida, acabou sendo levado de navio com outros condenados para a Austrália Ocidental. Por seu bom comportamento no translado, recebeu um bilhete de licença.

Àquela época, de acordo com o portal australiano Moondyne Festival, um condenado receberia um bilhete de licença se passasse um período de liberdade condicional com bom comportamento. 

O passe permitia ao prisioneiro a liberdade de procurar emprego, adquirir terras, casar e trazer a família do exterior para se juntar a eles. No entanto, eles não tinham permissão para deixar um distrito sem autorização, portar armas de fogo ou embarcar em um navio. 

Uma vez que um preso de licença completasse metade de sua sentença sob essas condições, eles tinham direito a um perdão condicional. Isso removeu todas as restrições, exceto o direito de deixar a colônia.

Na Austrália, Joseph se mudou para a região de Darling Range conhecida pelas tribos aborígenes locais, como os Moondynes. Por esse motivo, acabou adotando o apelido de Moondyne Joe.

Quando cumpriu seu quinto ano, em 1853, recebeu sua liberdade condicional. Então passou a trabalhar como caçador de gado. Em 1861, foi preso no distrito de Newscastle por marcar ilegalmente um brumby (uma raça de cavalo).

Prisão onde Moondyne Joe ficou em Fremantle/ Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Levado ao Newcastle Convict Hiring Depot, viu que o prédio era velho demais e estava em ruínas. Assim, escapou facilmente após roubar um cavalo, uma sela e rédeas novinhas que pertenciam ao magistrado local. 

Dias depois, foi preso e condenado a “três anos de servidão penal”, a ser cumprido no proibido Estabelecimento de Condenados (agora conhecido como Prisão de Fremantle). Em 1864, recebeu seu certificado de liberdade. 

Mais fugas

Suas fugas em massa só começaram depois dele ser condenado por um crime que insistiu ser inocente: em 1865 foi acusado de “matar um boi com intenção criminosa” e acabou pegando a 10 anos de prisão. Após uma semana preso, conseguiu fugir e gozou da liberdade por mais de mês. Por conta disso, 12 meses de sentença foram adicionados em sua ficha criminal. 

Num espaço de quatro meses, Joe conseguiu escapar do presídio em três ocasiões, o fez sua pena subiu mais cinco anos — sendo dois deles obrigados a fazer trabalho forçado, informou o 9News.  

Em 1866, as escapadas de Monndyne se tornaram tão frequentes que as autoridades da Austrália Ocidental fizeram uma cela “à prova de fuga” especialmente para ele. Com um espaço de 4x7 metros, o local era forrado com tábuas de Eucalyptus marginata pregadas nas paredes com centenas de pinos de metal.

Além disso, três camadas de grades foram colocadas nas janelas e ele foi algemado, usando grilhões nas pernas e acorrentado ao chão. Moondyne também não era autorizado a sair da prisão em sua hora de exercício diário. 

Em vez disso, ele recebeu uma pilha de pedras e uma marreta. O Moondyne Festival aponta que o governador John Hampton estava tão confiante que disse a Johns: "Se você sair de novo, eu o perdoarei".

A grande fuga

Joe ficou encarcerado até meados de 1867. Todos os dias, seu trabalho no pátio era supervisionado por guardas atentos. Mas a monotonia gerava seus escapes. Até que certa vez, por volta das 17 horas, ele desapareceu novamente. 

Sua fuga foi tão simplista que se tornou brilhante. Após alguns dias de trabalho exaustivo, a pilha de pedras que Johns marretou foi tamanha que chegou a uma altura substancial. Logo, alguns pontos cegos surgiram. 

Quando os guardas não estavam prestando atenção, ele aproveitava para marretar a parede do presídio. Em certo momento, conseguiu fazer um buraco grande o suficiente para escapar. 

Jornal relatando a fuga/ Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Além disso, um boneco feito com suas roupas foi confeccionado para enganar os agentes que o acompanhavam de longe. Demorou dois anos para que Moondyne fosse capturado novamente. Esta é considerada sua fuga mais eficaz. 

Preso novamente 

A fuga só não se tornou perfeita pois ele acabou sendo detido novamente. Desta vez, Johns havia invadido uma vinícola de Swan Valley em fevereiro de 1869. Sem que ele soubesse, a polícia estava nas proximidades procurando por um homem que havia se afogado.

Ao fugir da vinícola, acabou sendo atropelado pela viatura. Segundo o Moondyne Festival, após ser detido, o sujeito pediu para ver o governador, cobrando-lhe para cumprir sua promessa de libertação por escapar novamente.

Forçado a honrar com suas palavras, Hampton lhe concedeu a liberdade permanente em 27 de junho de 1873. Joe então se casou com uma mulher com metade de sua idade e se estabeleceu em Perth.

Em 1900, na parte final de sua vida, ele foi encontrado vagando pelas ruas como um idoso "de mente doentia", aponta o 9News. Moondyne então foi encaminhado a uma instituição médica para atendimento.

Túmulo de Monndyne Joe/ Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Ironicamente, o espaço ficava no mesmo prédio de um antigo depósito de condenados, onde ele foi preso quando jovem. Apesar de sofrer de aparente demência, ele conseguiu escapar da instituição três vezes antes de falecer, aos 71 anos, de “demência senil” em 13 de agosto daquele ano.