Notícias » Rússia

Morcego que bateu recorde ao viajar de Londres até a Rússia é morto por gato

Ao chegar ao seu destino, o animal acabou sendo morto por um gato

Redação Publicado em 09/08/2021, às 12h04

Pipistrelle de Nathusius, em fotografia
Pipistrelle de Nathusius, em fotografia - Mnolf/Wikimedia Commons

Um morcego bateu o recorde de voo mais longo já registrado pelos britânicos ao realizar uma viagem de mais de 2.018 km, de Londres até a cidade de Pskov, no noroeste da Rússia. Contudo, conforme informações da BBC, o mamífero acabou morrendo após ter sido atacado por um gato.

Segundo a rede britânica, o animal, uma fêmea da espécie pipistrelle do Nathusius, tinha o tamanho de um polegar humano. Ela foi encontrada por uma moradora da vila de Molgino, Svetlana Lapina, quem comunicou o caso às autoridades. O animal estava ferido e teve de ser resgatado por um grupo de reabilitação de morcegos, no entanto, não resistiu.

Apesar do final triste, a fêmea acabou ficando famosa ao conquistar o recorde da viagem mais distante realizada por um morcego da Grã-Bretanha. Além disso, trata-se também do segundo maior recorde em toda a Europa, sendo que o animal perde apenas para um pipistrelle de Nathusius que migrou da Letônia para a Espanha no ano de 2019, com um total de 2.224 km.

"Esta é uma jornada notável e a mais longa que conhecemos de qualquer morcego da Grã-Bretanha pela Europa. Que atleta olímpico!", declarou a chefe dos serviços de conservação do Bat Conservation Trust, Lisa Worledge.

"Sua jornada é uma descoberta científica empolgante e outra peça no quebra-cabeça da migração de morcegos. Os movimentos dos pipistrelles de Nathusius ao redor do Reino Unido e entre o Reino Unido e o continente permanecem em grande parte misteriosos," finalizou.