Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Panteras Negras

Morre ativista dos Panteras Negras que permaneceu 43 anos preso

Albert Woodfox foi ativista dos Panteras Negras e passou 43 anos em uma prisão solitária

Redação Publicado em 05/08/2022, às 18h56

Ativista dos Panteras negras morre nesta quinta-feira - Reprodução/Youtube/Democracy Now
Ativista dos Panteras negras morre nesta quinta-feira - Reprodução/Youtube/Democracy Now

Um militante dos Panteras Negras, o afro-americano Albert Woodfox, faleceu nesta quinta-feira, 4, seis anos depois de ter sido libertado da prisão, onde passou 43 anos em confinamento solitário.

Segundo George Kendall, seu advogado, à AFP, disse que a causa de sua morte está relacionada à complicações da Covid-19. Albert Woodfox foi acusado de ter assassinado um guarda branco durante um motim no Centro Correcional de Angola, prisão de Louisiana. Ele sempre negou a autoria do crime, mas foi colocado em confinamento solitário em 1972.

Woodfox passou quatro décadas preso em uma minúscula cela. Outros dois prisioneiros no Centro Correcional de Angola, Herman Wallace e Robert King, também membros dos Panteras Negras, foram colocados em confinamentos solitários.

Um deles, Robert King, foi solto em 2001. Já Herman Wallace, apenas em 2013, e morreu três dias depois, vítima de um câncer, como aponta o portal UOL.

Os três de Angola

Albert Woodfox, Herman Wallace e Robert King foram apelidados de "os três de Angola" e mesmo após campanhas, como de Anistia Internacional, permaneceram detidos durante décadas.

Eles foram integrantes dos Panteras Negras, movimento dos anos 1960 e 1970, contra a discriminação racial nos Estados Unidos.  

Albert Woodfox tornou-se símbolo do falho sistema prisional americano. Hoje, 80 mil pessoas encontram-se em detenções solitárias e aqueles que defendem uma reforma no sistema prisional do país, consideram a alternativa desumana.

Geralmente, o prisioneiro permanece fechado em uma sala minúscula sem qualquer estímulo visual, interação, luz natural ou atividade física, o que segundo investigações, pode alterar a estrutura do cerebral em poucos dias.


O site Aventuras na História está no Helo! Não fique de fora e siga agora mesmo para acessar os principais assuntos do momento e reportagens especiais. Clique aqui para seguir.