Notícias » Personagem

Morre Chun Doo-hwang, último ditador da Coreia do Sul, aos 90 anos

O general esteve no poder durante a década de 1980

Redação Publicado em 23/11/2021, às 09h00

Chun Doo-hwan
Chun Doo-hwan - Divulgação / vídeo / Youtube / CGTN

Morreu nesta terça-feira, 23, o sul-coreano Chun Doo-hwan, ex-ditador lembrado por ter promovido brutal repressão à oposição durante seu governo. Ele faleceu em sua casa em Seul, aos 90 anos de idade, conforme informou seu assessor Min Jeong-ki.

O general tomou o poder por meio de um golpe após o assassinato do mandatário Park Chung-hee, no ano de 1979 e, ainda hoje, é uma das figuras mais criticadas da história Coreia do Sul. A principal razão foi a forte repressão do exército contra um levante popular na região de Gwangju, episódio no qual ao menos 200 pessoas foram mortas ou desapareceram.

De acordo com informações do UOL, enquanto Chun esteve no poder, entre 1980 e 1988, a economia do país cresceu, tanto que Seul foi escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 1988. O evento se deu meses após o ditador transferir o poder de maneira pacífica.

Conforme a fonte, o general foi condenado por traição e setenciado à morte no ano de 1996. Um perdão presidencial, no entanto, o libertou da sentença. No ano passado, Doo-hwan — que sempre negou sua participação direta na repressão — foi considerado culpado de difamação no caso do massacre de Gwangju.