Notícias » Mistério

Morte de bilionário durante cirurgia para aumentar o pênis é cercada de mistério na França

Ehud Arye Laniado faleceu após sofrer uma parada cardíaca em uma clínica na Champs-Élysées em Paris

Redação Publicado em 07/03/2019, às 14h50

Ehud Arye Laniado
Ehud Arye Laniado - Reprodução

O bilionário Ehud Arye Laniado faleceu na noite do último sábado, 2, em Paris, na França, durante a realização de uma cirurgia para aumentar o pênis, conhecida  como faloplastia.

O dono da empresa Omega Diamonds, uma companhia belgo-israelense de comércio de diamantes com sede na Antuérpia, na Bélgica, realizou o procedimento em uma clínica na Avenida Champs-Élysées após o shabat, o dia de descanso semanal no judaísmo. Apesar de ser judeu, Laniado era conhecido por não ser um fiel seguidor das tradições judaicas.

Outro mistério diz respeito ao tempo em que a clínica levou para avisar o serviço de emergência. Segundo o jornal Le Soir, a clínica demorou uma hora para chamar os paramédicos locais, enquanto realizava massagem cardíaca para tentar reanimar Ehud.

Ainda de acordo com a publicação, que conversou com um amigo do bilionário, Laniado estava ''feliz no amor'' em seu segundo casamento e não teria motivo para se submeter ao curioso procedimento. "É totalmente incompreensível. Ele estava contente no amor. Era um homem bonito. Sempre teve sucesso com as mulheres", explicou.

APOSENTADORIA E RIQUEZA

Aos 65 anos, o empresário vivia em uma cobertura avaliada em US$ 56 milhões (cerca de R$ 217 milhões) em Mônaco. Ele dizia estar 'aposentado' após se envolver em um escândalo de evasão de divisas na Bélgica em 2013. Na época, ele aceitou pagar uma multa de £ 137 milhões (cerca de R$ 698 milhões) por não arcar com as taxas de importação de diamantes importados de Congo e Angola.

Mas sua fortuna voltou a crescer ainda mais em 2015, quando vendeu o diamante mais caro do mundo, o Blue Moon, para um empresário de Hong Kong ao valor de US$ 68 milhões (cerca de R$ 263 milhões).