Notícias » Crimes

Morte de criança de três anos por hipotermia causa polêmica na Rússia — mãe é uma das suspeitas

No início de dezembro uma menina morreu após ter sido submetida a uma temperatura de -15 °C; apesar de progenitora alegar sonambulismo da filha, as autoridades acreditam que pode ter sido negligência

Alana Sousa Publicado em 12/12/2020, às 13h00

Imagem meramente ilustrativa de urso de pelúcia
Imagem meramente ilustrativa de urso de pelúcia - Divulgação/Pixabay

Um caso trágico chocou a Rússia no início do mês de dezembro. No dia 4, Angelina Kuleshova, de três anos de idade foi encontrada morta no corredor de sua casa, em Satka. A causa do óbito foi classificada como hipotermia; agora, as autoridades estão investigando a mãe da criança para ver se houve algum tipo de negligência.

O episódio só veio a público na última sexta-feira, 11, após a polícia dar início a uma linha de investigação inesperada. Mesmo que a progenitora, Svetlana Kuleshova, tenha afirmado que a morte foi consequência do sonambulismo da menina, os detetives querem entender a história melhor.

Svetlana disse que colocou a criança em sua cama para dormir antes da meia-noite, logo depois de comemorar o aniversário de sua outra filha mais nova. Era um dia frio e as temperaturas marcavam -15 °C, quando se deu conta, na manhã seguinte Angelina já estava sem vida.

“Quando acordamos pela manhã, não a achamos [Angelina] na cama. Ela estava no hall, deitada no chão”, disse a mãe da menina em entrevista ao jornal russo, KP-Chelyabinsk. Apesar da declaração, para as autoridades a mulher teria deixado a menina fora de casa, pois, ela estaria atrapalhando a festa de sua irmã caçula.

Se condenada, Kuleshova poderá pegar até dois anos de cadeia. Atualmente ela espera o processo evoluir, mas seu bebê já foi encaminhado para um orfanato e ficará longe da família até que o caso seja encerrado.