Notícias » Arqueologia

Mosaicos bíblicos de 1.600 anos são encontrados em Israel

As peças, encontradas pelo Projeto de Escavação de Hoqoq, descrevem a passagem do Êxodo em que judeus chegam a Elim

André Nogueira Publicado em 08/07/2019, às 08h00

None
- Divulgação

Escavações realizadas numa sinagoga da aldeia de Huqoq, na Galileia (Israel), revelaram um mosaico tríptico bíblico de 1.600 anos, que narra a história da cidade Elim, onde os exilados judeus do Egito buscam refúgio em acampamentos durante o período de sufoco. A escavação foi coordenada por Jodi Magness, professora da Universidade da Carolina do Norte. É a primeira obra de arte judaica encontrada que retrata o episódio.

A descoberta faz parte de um projeto de nove anos em que alunos da Universidade escavam e analisam a sinagoga romana com o objetivo de esclarecer detalhes sobre o período. Desde o início, foram encontrados mosaicos representando a passagem de Noé, da Torre de Babel, da abertura do Mar Vermelho e mais uma sinagoga.

O mosaico descoberto retrata a passagem de Êxodo 15:27, onde é descrito o acampamento dos exilados após a exaustiva viagem pelo deserto. Um dos três painéis  mostra uma série de poços e tamareiras.

Além das representações imagéticas divididas em três setores, o painel também traz trechos que apontam a passagem sobre a qual se fala “E eles vieram a Elim”. A descoberta é interessante - a passagem em questão é considerada pequena no Arco Narrativo do Êxodo.

Trecho do mosaico encontrado / Crédito: Divulgação

 

A plenitude e a conservação dos artefatos encontrados em Huqoq indicam que a vida social dos judeus pôde florescer sob o domínio cristão da Antiguidade Tardia, o que vai de contramão com o consenso acadêmico sobre o tema. A arqueologia está ocupando uma lacuna que a heurística dos documentos escritos deixa sobre a História da região.