Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mosaicos

Mosaicos de mais de mil anos encontrados em Israel são revelados

Com 1,6 mil anos, alguns dos mosaicos mostram representações das heroínas bíblicas Débora e Jael

Redação Publicado em 14/07/2022, às 14h07

Mosaico de quase 1,6 mil anos descoberto em sinagoga - Divulgação / Jim Haberman
Mosaico de quase 1,6 mil anos descoberto em sinagoga - Divulgação / Jim Haberman

Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte em Capel Hill, nos Estados Unidos, divulgaram no último dia 6, a descoberta de mosaicos de 1,6 mil anos, alguns deles contendo a primeira representação conhecida das personagens bíblicas Débora e Jael. As escavações se deram em uma sinagoga localizada em uma antiga vila de Huqoq, em Israel.

Segundo informações da revista Galileu, os mosaicos foram descobertos originalmente em 2012. No entanto, foram necessários vários anos de trabalho até que os mesmos fossem revelados. A sinagoga em questão foi construída entre o final do 4º e início do 5º século d.C.

Livro de Juízes

De acordo com a fonte, o mosaico que contém a representação das heroínas bíblicas é dividido em três faixas horizontais, de modo a retratar um episódio narrado no capítulo 4 do livro de Juízes.

Na passagem, as forças israelitas, lideradas pela juíza e profetiza Débora e também pelo comandante militar Baraque, vencem a batalha contra o exército cananeu do general Sísera. Derrotado, o inimigo se refugia na tenda de Jael, que, por sua vez, mata o general enfiando uma estaca no mesmo enquanto dormia.

Na representação, Débora aparece sob uma palmeira, olhando para Baraque, que tem um escudo em mãos. Em uma das partes, Sísera está sentado e, em outra, é representado morto deitado no chão.

Mosaico encontrado durante as escavações / Crédito:Divulgação / Jim Haberman

Inscrição em hebraico e animais

Segundo os pesquisadores, em meio aos diversos mosaicos foi descoberta uma coroa de flores com uma inscrição em hebraico. Ao lado dela, há painéis medindo quase 2 metros de altura e pouco menos de 1 metro de largura, nos quais são representados quatro animais comendo cachos de uvas, sendo uma lebre, uma raposa, um leopardo e um javali.

Em outros painéis é possível ver Sansão carregando o portão de Gaza sobre seus ombros, em referência à passagem de Juízes 16:3.

Por fim, os pesquisadores revelaram que possivelmente encontraram a primeira história não bíblica já vista em uma sinagoga antiga, a qual narraria o encontro entre Alexandre, o Grande, e um sumo sacerdote judeu.

+Confira aqui o comunicado publicado pelos pesquisadores.