Notícias » Brasil

MPF determina que Ministério da Saúde apresente plano de reestruturação para atender povo Yanomami

A ordem surge após denúncia de abandono dos indígenas, que estão sofrendo com a malária e a desnutrição

Redação Publicado em 16/11/2021, às 14h51

Crianças Yanomami
Crianças Yanomami - Divulgação / vídeo / TV Globo

Em razão da recente denúncia de abandono do povo indígena Yanomami, realizada pelo Fantástico, o Ministério Público Federal pediu, nesta segunda-feira, 15, que o Ministério da Saúde crie um plano de reestruturação da assistência básica para atender essas pessoas. Foi dado um prazo de 90 dias para o cumprimento da medida.

Esse novo plano deverá contemplar um reforço no quadro de funcionários que atuam na reserva, além de apresentar logística aérea adequada. Outra exigência é que seja feita uma auditoria nas contas do Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami (Dsei-Y) e da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), para monitorar o uso de verbas.

"Um plano de reestruturação, portanto, em um prazo de 90 dias, sob pena de intervenção no Ministério da Saúde no Distrito Yanomami", disse o procurador da república, Alisson Marugal, de acordo com informações do G1.

"Seja com a nomeação de gestores capazes de buscar a reestruturação da Saúde Yanomami, ou seja, avocando essa competências e o próprio ministro da saúde exercendo o seu papel de supervisor e executor dessa política", finalizou.

A reportagem do Fantástico, que foi ao ar no último domingo, denunciou o fato de que muitas crianças Yanomami hoje se encontram desnutridas e sofrendo com doenças como a malária, sem terem acesso a tratamentos médicos. O problema ainda é agravado pelo avanço do garimpo ilegal nas regiões das comunidades.