Notícias » Pré-História

Mudança climática fez com que neandertais praticassem canibalismo por puro desespero

Desesperados por comida, eles se alimentaram da carne da própria espécie, aponta estudo

Letícia Yazbek Publicado em 29/03/2019, às 15h42

None
Getty Images

Um novo estudo, realizado pelos pesquisadores franceses Alban Defleur e Emmanuel Desclaux, e publicado no Journal of Archaeological Science, revela que os neandertais praticaram canibalismo influenciados por uma mudança climática.

Isso aconteceu devido à falta de comida durante um período de aquecimento global, há 120.000 anos, conhecido como o último período interglacial.

A pesquisa analisou os restos mortais de seis neandertais, encontrados nos anos 1990. Os esqueletos – dois adultos, dois adolescentes e duas crianças – foram achados em uma pequena caverna em Baume Moula-Guercy, no Vale do Ródano, no sul da França.

Os ossos apresentam sinais de canibalismo, como cortes feitos por ferramentas de pedra e marcas de dentes que correspondem aos dentes dos próprios neandertais. Além disso, os seis indivíduos foram completamente desmembrados, o que fortalece a teoria.

Restos mortais de neandertais encontrados na Croácia, Espanha e Bélgica já haviam indicado evidências de canibalismo. Mas, até então, os especialistas não conheciam a motivação para essa prática – alguns apostavam que ela era parte de rituais religiosos.

Na caverna de Baume Moula-Guercy, os pesquisadores encontraram uma resposta. Durante o último período interglacial, quando os seis neandertais foram mortos – entre 128.000 a 114.000 anos atrás – as temperaturas estavam vários graus acima das temperaturas dos períodos anteriores e posteriores.

Os pesquisadores analisaram os restos de animais envoltos em camadas no chão da caverna, e examinaram os seres que habitaram a região antes, durante e depois do último período interglacial. Antes e depois desse período, a área era habitada por mamutes e renas. Quando as temperaturas aumentaram, no entanto, os grandes mamíferos migraram e a região foi ocupada por roedores, tartarugas e cobras.

Sinais de doença e desnutrição, encontrados no esmalte dos dentes dos neandertais de Baume Moula-Guercy, indicam que eles sofreram com a escassez de alimento durante o último período interglacial. Os pesquisadores acreditam que eles serviram de alimento para outros neandertais, que também sofriam de desnutrição, por puro desespero.