Notícias » Mundo

Mudanças climáticas alteraram até mesmo o tamanho desta montanha

Os cientistas perceberam um padrão preocupante na geometria do monte Kebnekaise ao estudarem imagens de seus picos

Pamela Malva Publicado em 25/08/2021, às 13h00

Fotografia da montanha na Suécia
Fotografia da montanha na Suécia - Alexandar Vujadinovic/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

Na década de 1940, a Universidade de Estocolmo começou a analisar o derretimento da montanha Kebnekaise, a mais alta da Suécia. Agora, um estudo recente revelou que o monte está diminuindo de tamanho devido às mudanças climáticas no planeta.

Segundo Per Holmlund, o principal autor do estudo, “a variação de altura é um bom símbolo da resposta das geleiras ao aquecimento do clima na Suécia”. Por isso a pesquisa se baseia em métodos fotogramétricos para mapear a geometria do monte.

Com os dados em mãos, os cientistas verificaram que, no dia 14 de agosto deste ano, o pico sul do cume sueco chegou aos 2.094,6 metros de altitude. Essa é a menor marca registrada desde o início das análises, segundo a Superinteressante.

Acontece que, embora a altura da montanha realmente varie durante o verão, por exemplo, devido ao deslocamento de neve, as medições revelaram que os impactos na geometria do cume foram ainda mais drásticos na virada do século 21.

Não foram apenas as mudanças climáticas, contudo, que diminuíram o tamanho da Kebnekaise, já que o pico sul da montanha também acabou sendo afetado pelos padrões do vento na região. O pico norte, que é rochoso, por outro lado, segue estável.

Em relatório publicado no dia 9 de agosto, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) preocupou-se especialmente com o aumento das temperaturas globais, bem como com o derretimento das geleiras. Para os cientistas, os humanos são os principais responsáveis pelas mudanças climáticas registradas no planeta.