Notícias » Estados Unidos

Mulher afirma ser agente do FBI e ameaça funcionários exigindo comida gratuita, nos EUA

A suspeita, entretanto, não fazia parte da corporação, e mesmo depois de detida continuou afirmando ser uma agente federal

Caio Tortamano Publicado em 11/11/2020, às 11h48

Imagem ilustrativa de agentes do FBI
Imagem ilustrativa de agentes do FBI - Divulgação

Uma mulher de 47 ameaçou funcionários de uma lanchonete fast-food na Geórgia, Estados Unidos, após afirmar ser uma agente do FBI — serviço de inteligência do país — e exigir um lanche gratuito. Como era de se esperar, ela não fazia parte da organização, e foi presa pela polícia local.

A suspeita, identificada como Kimberly Ragsdale, acabou sendo liberada mediante pagamento de fiança — com valor em torno de 16 mil reais. Conforme noticiado pelo UOL, a mulher tentou diversas vezes se passar por uma agente federal, tentando uma refeição gratuita na rede de lanchonetes Chick-Fil-A, especializada em alimentos com frango.

Kimberly ameaçou os funcionários dizendo eles seriam presos caso não conseguisse a refeição gratuita. Quando confrontada pela polícia no momento da prisão, a mulher continuou afirmando que era uma agente do FBI, mas que suas credenciais eram todas digitais, e que não teria como comprovar no momento.

O caso serviu para a polícia local emitir um alerta para a população sobre a conduta de agentes de segurança. Randy Turner, chefe da polícia, afirmou que: “Se for dada a refeição, nós iremos agradecer. Se for oferecido um desconto, nós agradecemos. Não iremos pedir ou fazer ameaças exigindo isso”.