Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Mulher afirma ser menina que desapareceu em ponto de ônibus há 39 anos

Em 1985, uma menina de somente 8 anos sumiu; família busca pistas há quase 40 anos. Veja detalhes sobre o caso

A pequena Cherrie aos 8 anos e uma simulação de como ela estaria atualmente - Reprodução / Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas
A pequena Cherrie aos 8 anos e uma simulação de como ela estaria atualmente - Reprodução / Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas

Um novo capítulo se abre no caso da menina Cherrie Mahan, desaparecida na Pensilvânia, Estados Unidos, em 1985. Uma mulher, que não teve sua identidade revelada, afirma ser Cherrie, que na época tinha apenas 8 anos.

A alegação, feita em um grupo do Facebook dedicado à busca pela menina, mobilizou a Polícia Estadual da Pensilvânia e reacendeu as esperanças da família de Cherrie, que há quase quatro décadas busca por respostas.

Cherrie foi vista pela última vez saindo do ônibus escolar em frente à sua casa em Winfield Township, no dia 22 de fevereiro de 1985. Desde então, ela nunca mais foi vista. O caso se tornou um dos mais emblemáticos da região e as buscas por ela jamais cessou.

Cherrie, que desapareceu há 39 anos - Reprodução / Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas

A revelação da mulher no Facebook gerou grande repercussão. Conforme a Polícia Estadual, uma investigação está em andamento para verificar a veracidade da identidade da mulher. No entanto, a mãe de Cherrie, Janice McKinney, se mostrou cética em relação à alegação. Em entrevista ao Butler Eagle, ela afirmou que a mulher não se parece com Cherrie.

Eu realmente acredito que ela pensou que era Cherrie”, disse McKinney ao portal Eagle. “Não se parecia em nada com Cherrie”.

Quarta tentativa

Ela é a quarta mulher a afirmar ser Cherrie desde que o desaparecimento foi registrado. Vale lembrar que há muito tempo é oferecida uma recompensa de US$ 5.000 a qualquer pessoa que forneça informações que levem a agora mulher e/ou à prisão de quem a sequestrou, segundo o NY Post.

Apesar da descrença de McKinney, a polícia segue investigando o caso. A mulher que se diz Cherrie já foi contatada pelas autoridades e está colaborando com a investigação. A esperança da família é que, finalmente, após 39 anos, o mistério do desaparecimento de Cherrie Mahan seja solucionado.

As postagens da mulher já foram removidas do grupo do Facebook. “Gostaria que todos nós [todos os investigadores que investigaram o caso de Cherrie] pudéssemos nos reunir e sentar e conversar”, disse McKinney. “Há algo que alguém perdeu em algum lugar e alguém sabe”.