Notícias » Ucrânia

Mulher afirma ter ser sido abusada sexualmente por combatentes russos

“Tire sua roupa ou eu atiro em você”, teria dito um soldado a ela

Fabio Previdelli Publicado em 12/04/2022, às 15h06

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

Conforme o Exército russo se retira de regiões invadidas da Ucrânia, como o que aconteceu recentemente em Bucha, as marcas da guerra se tornam cada vez mais evidentes. E não estamos falando apenas das marcas físicas, mas de como a população também é afetada psicologicamente com tudo o que acontece. 

Muitos ucranianos vem citando as “feridas que nunca serão curadas”, como a perda de parentes, amigos e vizinhos. Além do mais, muitos também citam abusos que sofreram de combatentes pró-Rússia e de toda a violência que famílias tiveram que enfrentar. 

À BBC, uma moradora de um bairro rural a oeste de Kiev, identificada com o pseudônimo de Anna, relatou que, em 7 de março, ela e o marido foram abordados por um combatente estrangeiro enquanto estavam em casa. 

Com uma arma, ele me levou para uma casa próxima. E me ordenou: 'Tire sua roupa ou eu atiro em você.' Ele continuou ameaçando me matar se eu não fizesse o que ele falava. Então ele começou a me estuprar", relembra. 

"Enquanto ele estava me estuprando, mais quatro soldados entraram. Achei que era meu fim. Mas eles o levaram embora. Nunca mais o vi", continua. Ao voltar para casa, Anna conta que reencontrou com seu marido, que havia sido baleado no abdômen. 

"Ele tentou correr atrás de mim para me salvar, mas foi atingido por uma rajada de balas", explica. Sem conseguirem acesso a um hospital, o sujeito acabou falecendo dois dias depois, em decorrência dos ferimentos. O marido de Anna foi enterrado no quintal de sua casa. 

"Quando eles foram embora, encontrei drogas e Viagra. Eles se drogavam e muitas vezes estavam bêbados. A maioria deles são assassinos, estupradores e saqueadores. Apenas alguns são ok", completou. 

Após soldados russos deixarem a região de Kiev, moradores relatam terem sido violentados por combatentes. Mulher alega que foi estuprada por membro do Exército que atirou em seu marido.