Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Qatar

Mulher condenada a 100 chibatadas no Qatar consegue advogado

Paola Schietekat, vítima de uma agressão, também foi condenada a sete anos de prisão

Redação Publicado em 23/02/2022, às 12h13

Paola Schietekat, vítima da agressão e alvo da condenação - Divulgação/Redes sociais
Paola Schietekat, vítima da agressão e alvo da condenação - Divulgação/Redes sociais

Um triste caso ganhou repercussão nas redes sociais no último final de semana. No Qatar, Paola Schietekat, mexicana, foi condenada a sete anos de prisão e 100 chibatadas. 

No país que se prepara para receber a Copa do Mundo, Paola passou a viver no país desde 2020 justamente para trabalhar para o governo no que diz respeito a organização do evento que para o mundo. 

Alvo de uma agressão, como repercutido pela BBC, Paola procurou as autoridades com o objetivo de registrar uma queixa, contudo, o que ela menos poderia esperar aconteceu: acabou recebendo uma injusta acusação. 

'Sexo extraconjugal'

Ao ser acusada de 'sexo extraconjugal', considerado crime na lei local, Schietekat recebeu a pena e uma insólita alternativa. Caso aceitasse se casar que o homem que a agrediu, ela não precisaria encarar a pena

Através de sua conta no Facebook, Paola desabafou a respeito do episódio.

"Após esse processo, percebi que, apesar de meus diplomas acadêmicos, preparação profissional, independência financeira e apesar de trabalhar para o governo do Qatar, sou vulnerável a violações de direitos humanos por instituições arcaicas e abusivas, e incapaz de encontrar proteção em meu consulado", escreveu ela. 

Defesa

Após o episódio ser denunciado, Marcelo Ebrard, atual chanceler mexicano, encontrou a vítima da agressão e condenação. Ele disse que Paola terá o melhor advogado para atuar em sua defesa.

"Agradeço a Paola por sua visita e conversa. O Consultor Jurídico do SRE, nosso melhor advogado, será responsável por defendê-la e garantir que todos os seus direitos como cidadã mexicana sejam respeitados. Reconheci sua coragem e determinação", escreveu ele através de sua conta no Twitter.