Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Mulher confessa que matou marido logo após ele ensinar golpes de sufocamento

Ela teria sido motivada por xingamentos que ouvia todos os dias do ex-companheiro

Redação Publicado em 29/06/2022, às 10h57

Homem morto por sua esposa em Minas Gerais - Divulgação/ TV Globo
Homem morto por sua esposa em Minas Gerais - Divulgação/ TV Globo

Uma mulher está sendo investigada por ter asfixiado o seu marido, em crime ocorrido no sábado, 25, na cidade Itajubá, Minas Gerais. A polícia Federal disse que ela confessou o crime, alegando ter a ajuda de uma vizinha. A motivação para realizar o homicídio teria vindo das ofensas que ouvia diariamente, lembrando que ele a chamava de "gorda e velha".

Na reportagem feita pelo jornal EPTV 1ª Edição, da TV Globo, é mostrado que o homem morto era um servidor público, chamado Sérgio Carvalho Silva, de 51 anos.

Em entrevista ao canal, o delegado da Polícia Civil, Mario Roberto Rodrigues Martins afirmou que as circunstâncias, motivação e a maneira em que o crime foi executado, ainda estão sendo apurados.

"Inicialmente fui informado que ela teria utilizado o marido como uma maneira de treinamento de técnica de imobilização, e, aproveitando disso, teria asfixiado ele até a morte”, disse o delegado durante a entrevista.

Sobre a maneria como a suspeita teria acobertado o ato, o delegado deu mais detalhes depois das primeiras investigações.

"[A suspeita] introduziu um objeto nas vias aéreas [dele], para simular que ele teria engasgado com algum tipo de alimento. Então, as investigações estão prosseguindo, para que a gente possa chegar à reconstrução histórica total dos fatos", detalhou a autoridade.

O dia da morte

Conforme a apuração do portal Terra, imediatamente após ver que Sérgio estava sem os sinais vitais, a mulher chamou as autoridades públicas para tentar prestar os socorros. O Corpo de Bombeiros tentou reanimar a vítima e em primeiro momento, crendo que ele veio a óbito por um engasgo. Teoria refutada pouco tempo depois, quando a esposa confessou ser a responsável.

Um fato que chamou bastante a atenção dos policiais é que durante a confissão, a investigada falou que estava em um momento de descontração com o companheiro, pedindo para ele ensinar maneiras de imobilizar uma pessoa e se proteger em algum tipo de agressão, já que ele era segurança.

Ao ensinar algumas técnicas, ela pediu para deixar imobilizá-lo, como forma de treinar a habilidade. De acordo com a polícia, a vítima concordou e ela o amarrou com cardaços e em seguida, com uma camisa de criança até acontecer o desmaio e depois, sua morte.